Psyquiatry online Brazil
polbr
Volume 22 - Novembro de 2017
Editor: Giovanni Torello

 

Fevereiro de 2013 - Vol.18 - Nº 2

France - Brasil- Psy

Coordenação: Docteur Eliezer DE HOLLANDA CORDEIRO

Quem somos (qui sommes-nous?)                                  

France-Brasil-PSY é o novo espaço virtual de “psychiatry on  line”oferto aos  profissionais do setor da saúde mental de expressão  lusófona e portuguesa.Assim, os leitores poderão doravante nela encontrar traduções e artigos em francês e em português abrangendo a psiquiatria, a psicologia e a psicanálise. Sem esquecer as rubricas habituais : reuniões e colóquios, livros recentes, lista de revistas e de associações, seleção de sites.

Qui sommes- nous ?

France-Brasil-PSY est le nouvel espace virtuel de “psychiatry on line”offert aux professionnels du secteur de la santé mentale d’expression lusophone et française. Ainsi, les lecteurs pourront désormais y trouver des traductions et des articles en français et en portugais  concernant la psychiatrie, la psychologie et la psychanalyse. Sans oublier les rubriques habituelles : réunions et colloques, livres récentes, liste de revues et d’associations, sélection  de sites

SOMMAIRE (SUMÁRIO):

 

  • 1. DISTÚRBIOS BIPOLARES OU PSICOSE MANÍACO-DEPRESSIVA?
  • 2. LIVROS RECENTES
  • 3. REVISTAS
  • 4. ASSOCIAÇÕES
  • 1) DISTURBIOS BIPOLARES OU PSICOSE MANÍACO-DEPRESSIVA?

     

    ’’Bipolar, o novo mal do século’’,  é o título da revista ‘’Le Nouvel Observateur’’ ( de 7 a 13 de fevereiro de 2013).Quando abrimos a primeira página do dossiê sobre o assunto, lemos a interrogação: ‘’Êtes-vous Bipolar’’ (Você é bipolar)? E a resposta à questão: “Os disturbios    do humor são cada vez mais frequentes. Eles aparecem em filmes, novelas de televisão e internete. De tal forma que se tornou  um fenômeno de moda,  uma doença reflexo de uma sociedade desorientada’’.

    A jornalista, Elsa Vigoureux,  explicita o argmento do artigo: ‘’no filme Happiness Therapy, um dos grandes favoritos do próximo Oscar, o jovem Pat tem um pequeno problema, ele oscila entre euforia e depressão, toma Litio e Seroquel. Por sua vez, a heroína, Tiffany, toma Xanax. Os personagens parecem conosco, são atormentados pela angústia e pela  frustração.Salvo que, no fim do filme, eles vão  ser bem sucedidos. Eles possuem algo que transforma a vulnerabilidade em talento. Na realidade, eles são bipolares.

    É o novo mal da época atual,as pessoas bipolares têm agora suas associações,suas  fundações,  seus marketings farmacêuticos, seus programas de pesquisas, seus foros  de discussões. Estima-se o número de pessoas  sofrendo de distúrbios bipolares  na França a  500 000 e   que   30% desses bipolares já  fizeram tentativas de suicídio, 10% deles morrendo por este motivo.’’

    Dentre os bipolares, Lucile, mãe da  escritora Delphine de Vigan, que lhe consagrou o livro, Rien ne s’oppose à la nuit(Nada se opõe à noite), livro  que se tornou um  best seller. Outro bipolar famoso é o pintor Gérard Garouste,  que publicou a história de sua doença no livro ‘’L’Intranquille’’.

    O livro de Delphine de Vigan sobre sua  mãe bipolar se baseou em  cartas, escritos, dezenhos,  informações dadas  por tios  e por outras pessoas, sem falar das horas ela   passou vendo e revendo  filmes e  fotos da mãe. Somente então, ajuntou, ‘’como tantos autores antes de mim, tentei   escrever sobre minha mãe.’’ Ela reconstruiu, detalhadamente,   a história da mãe, sua existência atormentada, sua imensa solidão, sua angústia profunda,  seus saltos de humor, suas hospitalisações em centros especializados, seu trágico suicídio aos 57 anos de idade.  Delphine de Vigan fez, de uma certa maneira, a autobiografia de sua mãe.

    O livro de Gérard Garouste, ‘’L’Intranquille,  ao contrário, é  o autorrretrato de um filho, de um pintor, de um louco’’.  Podemos ver neste gênero literário,uma ilustração do que Montaigne disse a propósito de sua única e magistral obra, Les Essais (Ensaios): ‘’Eu sou a matéria do meu livro’’. Garouste, escreveu o seu livro a  partir das experiências de  sua vida, duma  meditação sobre sua condição humana, sobre a sua  loucura, seus acessos maníacos e depressivos, chegando a identificar os signos anunciadores dos momentos que levaram-no a ser internado várias vezes em diferentes hospitais psiquiátricos. Ele alterna delírios e melancolias há quarenta anos. Mas ele  aprendeu, pouco a pouco, a dominar seus distúrbios, graças aos medicamentos e  o apoio de  sua esposa, que o ajudou  a seguir as recomendações e os objetivos terapêuticos determinados pelos médicos. Hoje, o casal fala de maneira serena  dos ‘’delírios’’ do pintor   e de seus mergulhos na melancolia. E Garouste  se pergunta como é que sua esposa poude suportá-lo durante tantos anos. 

    DA PMD PARA OS BIPOLARES

    ‘’A denominação desses distúrbios começou a mudar em 1980, quando o DSM (Manual diagnóstico e estatístico dos Distúrbios mentais, publicado pela Associação Americana de Psiquiatra) substituiu o termo PMD (Psicose-maníaco-depressiva) por ‘’ Transtorno bipolar”.  A indústria farmacêutica, naturalmente, estava preparada para estabilisar nossos  humores com novos medicamentos.Falava-se,  inclusive, de um largo espectro bipolar,  indo da PMD à ciclotimia e englobando o pretendido distúrbio bipolar subliminar’’, escreveu

    a jornalista Elsa Vigoureux.

    ‘’O risco de psiquiatrisar, isto é, de receitar psicotrópicos  tornou-se muito grande: o mercado dos antipsicóticos atípicos atinge hoje 18 bilhões de dólares, o duplo dos antidepressores em 2001’’, escreveu o filósofo e historiador Mikkel Borch-Jacobsen no seu livro A Fábrica das loucuras. Ele ajunta que ‘’a porcentagem de crianças declaradas bipolares nos Estados Unidos foi multiplicada por 40 em vinte anos.’’  Mikkel Borch-Jacobsen,  havia lido um artigo publicado no Times onde o autor mostrava aos  pais  como  detectar os signos anunciadores da doença bipolar desde a mais tenra idade! ‘’Portanto, os psiquiatras sabem muito bem que a PMD quase nunca surge antes da puberdade, lembra o  psiquiatra e historiador David Healy,  reconhecido mundialmente  como um perito em matéria de psicotrópicos.

    O doutor Claude Finkelstein, presidente da  Fédération nationale  des Associations d’Usagers en Psychiatrie, disse a jornalista  Elsa Vigoureux  ‘’haver  visto uma criança de 7 anos a quem o médico deu um regulador do humor para contrabalançar os efeitos da Ritalina”! 

    SOBRE OS CENTROS PARA BIPOLARES

    Publicamos na Polbr de Fevereiro de 2012 - Vol.17 - Nº 2, um artigo do jornal de Orléans, La République du Centre sobre a inauguração de 9 centros especializados no acompanhamento de pacientes bipolares.A finalidade principal desses centros?  “Facilitar o trabalho dos acompanhantes afim de  evitar a agravação dos distúrbios e o aparecimento doutras patologias(...) E ensinar práticas e terapêuticas inovadoras  durante a formação dos médicos.’’

    Os especialistas dos  centros recebem apenas pacientes enviados por psiquiatras ou clínicos gerais’’, explica a professora e doutora Chantal Henry, psiquiatra no hospital Albert Chenevier (Grupo hospitalar Henri Mondor, em Créteil).  Até agora, 1.000 pacientes já foram enviados aos centros para bipolares.

    INTERROGAÇÕES

    Quais as razões que levaram o DSM IV a inventar esta nosografia psiquiátrica e a categoria‘’distúrbio bipolar’’?Porque levar em conta exclusivamente os medicamentos quimioterápicos? Porque abandonar a antiga categoria Psicose-Maníaco- Depressiva? Que ganha a clínica psiquiátrica se as noções de melancolia e de mania forem desprezadas, e assim abandonadas suas respectivas psicopatologias? Quais as vantagens do tratamento dos ‘’bipolares’’ por esses centros especializados, se eles não levarem em conta  a relação médico-paciente? Como se  estabelecr uma relação médico-paciente sem levar am conta a subjetividade dos respectivos protagonistas neste encontro singular?

    Leio os argumentos das jornadas de estudos do  Espace Analytique ( nos dias 10 e 11 de Março de 2012). Tema das jornadas :"Ces troubles qu’on appelle bipolaires et la psychanalyse" (Esses distúrbios   chamados  bipolares e a psicanálise).  Os analistas , constatando a existência duma distância cada vez maior entre a clínica psiquiátrica farmacológica e a clínica psicanalítica, perguntam se eles não deveriam aproveitar a ocasião para assumir a ruptura completa com o discurso psiquiátrico que nega  a subjetividade e a transferência. Donde a idéia consistindo em interrogar os destinos da melancolia e sua relação com o laço social e a sublimação.

    2) LIVROS RECENTES

    *Le travail du psychanalyste en psychothérapie

    François RICHARD-Catherine CHABERT,

    Thierry BOLANOWSKY-André GREEN

    Ed. Dunod, 2012, 22 €

    *Mon analyse avec le Professeur FREUD

    Sous la direction d’Anna KOELLEREUTER

    Ed. Flammarion, 2012-10€

    *Introduction à la psychopathologie de l’adolescent : approche psychanalytique

    Pierre SULLIVAN

    Ed. Dunod, 2012-22,90€

    *Psychopathologie du bébé

    Christelle BENONY, Bernard GOLSE, Nicolas GEORGIEFF, sous la direction de Jean-Louis PEDINELLI

    Ed. Armand Colin, 2012-9,80€

    *Le pervers narcissique et son complice

    Alberto EIGUER

    Ed. Dunod, 2012 – 26,90€

    *Même les kangourous se détachent de leur mère: essai sur les limites de l’amour maternel.

    Jean MAISONDIEU

    Ed. Payot, 2012-21,50€

    *Comment la dépression est devenue une épidémie

    Philippe PIGNARRE

    Ed . La Découverte, 2012-8,50€

    *De la cure à l’écriture: l’élaboration d’un héritage traumatique

    Janine ALTOUNIAN

    Ed. PUF, 2012-27€

    *Petite histoire de l’empathie

    Jacques HOCHMANN

    Ed. O. Jacob, 2012-22,90€

    *Seize leçons sur le trauma

    Louis CROCQ

    Ed. O. Jacob, 2012-25,90€

    3) REVISTAS

    L’Evolution pychiatrique

    L’Information psychiatrique

    Impacte Medecine

    La Revue Française De Psychiatrie Et De Psychologie Médicale

    L’Encephale

    Psychiatrie Française

    L’Autre, Culture et Sociétés

    4)Associações

    Mission Nationale d’Appui En Sante Mentale

    *Association Française De Psychiatrie Et Psychologie Legales (Afpp)

    *Association Française De Musicotherapie (Afm)

    Association Art Et Therapie

    *Association Française De Therapie Comportementale Et Cognitive (Aftcc)

    *Association Francophone De Formation Et De Recherche En Therapie Comportementale Et Cognitive (Afforthecc)

    *Association De Langue Française Pour L’etude Du Stress Et Du Trauma (Alfest)

    *Association De Formation Et De Recherche Des Cellules D’urgence Medico Psychologique (Aforcump)

    *Association Pour La Fondation Henri Ey

     


    TOP