Volume 22 - Novembro de 2017
Editor: Giovanni Torello

 

Junho de 2007 - Vol.12 - Nº 6

France - Brasil- Psy

Coordenação: Docteur Eliezer DE HOLLANDA CORDEIRO

Quem somos (qui sommes-nous?)                                  

France-Brasil-PSY é o novo espaço virtual de “psychiatry on  line”oferto aos  profissionais do setor da saúde mental de expressão  lusófona e portuguesa.Assim, os leitores poderão doravante nela encontrar traduções e artigos em francês e em português abrangendo a psiquiatria, a psicologia e a psicanálise. Sem esquecer as rubricas habituais : reuniões e colóquios, livros recentes, lista de revistas e de associações, seleção de sites.

Qui sommes- nous ?

France-Brasil-PSY est le nouvel espace virtuel de “psychiatry on line”offert aux professionnels du secteur de la santé mentale d’expression lusophone et française. Ainsi, les lecteurs pourront désormais y trouver des traductions et des articles en français et en portugais  concernant la psychiatrie, la psychologie et la psychanalyse. Sans oublier les rubriques habituelles : réunions et colloques, livres récentes, liste de revues et d’associations, sélection  de sites

SOMMAIRE (SUMÁRIO):

 

  • 1. DEFESA DA PSIQUIATRIA HUMANISTA
  • 2. UMA EQUIPE FRANCESA AVANÇA NO TRATAMENTO DA ATAXIA DE FRIEDREICH
  • 3. REVISTAS
  • 4. ASSOCIAÇÕES
  •  

    1. DEFESA DA PSIQUIATRIA HUMANISTA 

    Eliezer de Hollanda Cordeiro (Psiquiatra inscrito na Ordem dos Médicos da França)

     

    Na  POLBr de fevereiro 2007(1) comentamos o editorial  de Bernard Gibello,  eleito  novo presidente da Association Française de Psychiatrie , no qual ele solicita  a solidariedade dos psiquatras em nome da defesa  da « psiquiatria humanista, insubmissa à preeminência  atual da medicina do objeto e ao critério da eficiência econômica » . Críticos mais contundentes  qualificam mesmo  a  medicina atual  como  desumanizadora, na medida em que ela confia à tecnologia, aos exames biológicos e aos aparelhos modernos não somente o essencial do exame do paciente  mas o próprio tratamento. Assiste-se, por conseguinte,  à desvalorização   do método clinico, evacuado pela medicina em geral e também por muitos psiquiatras.

    Mas o que é o humanismo ? « Trata-se de um movimento literário e filosófico que surgiu na época do  Renascimento. Os humanistas, em filosofia,  defendem  o valor do homem enquanto homem (…) donde  uma tese fundamental do pensamento moderno : a idéia  de que o « homem tira a sua dignidade  do estatuto de sujeito, o que faz dele a fonte única do sentido e dos valores ». (2).

    Na  Lettre de Psychiatrie Française do mês de maio,  a  questão da psiquiatria humanista  voltou à tona. Assinado por Psichiatricus (um pseudônimo), o artigo  « Pour la Psychiatrie Centrée sur le Patient »  defende não somente  a  psiquiatria humanista  mas faz uma  critica bastante radical da  evidence-based-medecine( medicina baseada em provas consideradas como científicas), noção em voga nos países anglo-saxões e que tende a generalisar-se na França. Psychiatricus refere-se  a um artigo  do psiquiatra francês Jean-Jacques Lottin, intitulado : Pour en finir avec les invasions barbares infantilisantes da Evidence Basic Medicine (EBM) (Para acabar com as invasões bárbaras infantilizantes da EBM) (3).

     

    Jean-Jacques Lottin escreveu, neste artigo polêmico porém rico em citações e argumentos,  « que a evidence-based-medecine surgiu  nos think tank neo-conservadores anglo-saxões (…), precisamente  numa universidade batista do Canadá, em 1980, propagando-se depois  nos USA e outras regiões marcadas pela dominação ideológica  anglo-americana. Ocorreu  que políticos e administradores,  traumatizados por certas catástrofes sanitárias como a do sangue contaminado pelo virus do AIDS, imaginaram poder evitar todo e qualquer risco médico pela adoção de práticas mais adequadas que fossem  aceitas pelas companhias de seguros. Estas, por sua vez,  aceitariam  firmar contratos protegendo contra  todos os riscos ligados às práticas profissionais. Para definir as boas práticas, tornou-se necessário « substituir a medicina clínica à la française( que comporta um contacto pessoal com o paciente), pela utilização de protocolos (…) obrigando  os psiquiatras americanos a receitar psicotrópicos (…)  O desrespeito desse protocolo poderia levar o médico a ser processado e condenado, se viesse a ocorrer  um problema qualquer com o paciente. O objetivo inicial (…)  da evidence-based-medecine era de simplificar  o ensino da medicina, considerado demasiadamente complexo pelos espíritos pós-modernos pragmáticos…O método empregado na evidence-based-medicine(que o autor considera como um método binário,  não histórico, dogmático e sub-desenvolvido),funda-se em estatísticas, no determinismo biológico e comportamental capaz de  desfazer completamente uma civilização e prejudicar  nossa Kulturarbeit (trabalho cultural). Contudo, J.J. Lottin nota que a resistência dos psiquiatras está se organizando na França, que a medicina baseada em provas começou a ser contestada nos Estados Unidos.E, sobretudo,que  colegas de muitos países mostram-se cada vez mais interessados  pela psiquiatria humanista  francesa, notadamente pela especificidade de sua  pedopsiquiatria clínica , que privilegia  o respeito do individuo, da familia, do contexto social, do direito à saúde (…) e insiste sobre o engajamento do médico disposto  a cuidar socialmente dos mais vulneráveis » (3).

     

    Podemos encontrar na  Wikipedia francesa  o sentido  da expressão think tank : trata-se de uma instituição de direito privado, regrupando experts, emitindo idéias no domínio das ciências sociais, dispondo de uma capacidade de análise e de reflexão interna que pode dar lugar a  propostas para políticas públicas. Na França, certas pessoas falam de círculo de reflexão, de grupos de reflexão e de influência, ou ainda de instituto independente de pesquisas políticas.  

     

     

    CONCLUSÃO  ABERTA 

     

    A expressão  « espíritos pós-modernos pragmáticos » levou-nos a procurar entender a significação da corrente pós-modernista da filosofia contemporânea, cujo aparecimento data do fim da década de 1970.  Esta expressão  foi empregada para « designar a vontade de ultrapassar os valores modernos e modernistas e os efeitos produzidos pelas grandes convulsões políticas do Século XX sobre nossa maneira de pensar» (4). Donde o desmoronamento das grandes ideologias totalizadoras  como o marxismo e, mais recentemente, os ataques do Livre Noir de la Psychanalyse, que  considera  a eficiência  terapêutica da psicanálise como muito pequena  e  a pertinência de sua filosofia muito  contestável.Donde a tentação de considerar a psicanálise como uma ideologia também totalizadora e que deve ser desfeita.

     

    Bem que a psiquiatria seja uma   disciplina médica,  não devemos esquecer que a  a clínica psiquiátrica muito ganhou com as descobertas fundamentais da psicanálise : escuta do paciente, associação de idéias, interpretação… Impensável praticarmos uma psiquiatria sem inconsciente, sem levarmos em conta a  relação médico-paciente, os contextos histórico e social, o contexto familiar. « Mesmo que seja muito dificil convencer os defensores  do DSMIV, a medicina e, notadamente a psiquiatria é  uma arte e não uma ciência».Por todas essas razões, o   combate de muitos psiquiatras franceses para manter  o caráter  humanista de nossa prática  parece-nos indispensável.

    1.Eliezer de Hollanda Cordeiro, As boas intenções do novo presidente da Association Française de Psychiatrie (AFP),in POLBr  fevereiro 2007

    2.La pratique de la Philosophie, página 202,Hatier, Paris, 2000

    3. Jean-Jacques Lottin, POUR EN FINIR AVEC « LES INVASIONS BARBARES »INFANTILISANTES DE L’EVIDENCE BASIC MEDICINE (EBN)

    4. La  Culture générale de A à Z,páginas 202-203, Hatier, França, 1998

     

     

    2.  UMA EQUIPE FRANCESA AVANÇA NO TRATAMENTO DA ATAXIA DE FRIEDREICH

    Jean-Yves Nau

    Jornal LE MONDE | 22.05.07 | 14h15  •  Mis à jour le 22.05.07 | 14h15

     

    A ataxia de Friedreich é uma doença neurológica hereditária caracterisada por distúrbios do equilíbrio e da coordenação do movimento voluntário, até agora incurável.

    Mas um medicamento parece haver sido encontrado por uma equipe de pesquisadores do Inserm, dirigida por Arnold Munnich ( hospital Necker de Paris), trabalhando em colaboração com Ioav Cabantchik(Universidade de Jerusalem).

    Em parte financiados graças aos dons do Téléthon, seus trabalhos acabam de ser publicados no site da revista Blood, órgão oficial da sociedade americana de hematologia.

    A ataxia de Friedreich foi descrita pela primeira vez am 1863 pelo neurologista alemão do mesmo nome.Ela se caracteriza pelo aparecimento, entre 5 e 15 anos, de distúrbios da coordenação motora e da sensibilidade que progridem de maneira rápida.

    O intelecto é  geralmente preservado, mas a sobrevida ultrapassa raramente o início da idade adulta.A morte resulta frequentemente de anomalias cardíacas associadas às lesões degenerativas observadas nos neurônios. 

    Há dez anos, a equipe de Arnold Munnich havia descoberto a chave fisiopatológica responsável pela doença : um défice genético de síntese proteínica conduzindo a uma acumulação anormal de ferro nas mitocôndrias, os micro-organismos intracelulares que garantem a respiração e a produção de energia. O « excesso » de ferro  levaria à  formação dos radicais livres de oxigênio,  tóxicos para a célula.

    Partindo desses achados, um primeiro ensaio clínico foi lançado, em 1999, com resultados encorajadores nas lesões cardíacas  mas sem  efeitos favoráveis nos distúrbios neurológicos.

    Os pesquisadores testaram então uma nova molécula que elimina os excessos orgânicos de ferro no cerebelo, comprovado pela imagerie cérébrale. O cerebelo, como sabemos, é um centro nervoso regulador da função motora.A deferiprona, que fixa e elimina o ferrro, tem a vantagem de passar do sangue para o cérebro.

    Ao fim de seis meses de ensaios, oito dos nove primeiros pacientes apresentaram uma nítida melhora dos distúrbios neurológicos pela  eliminação de uma parte  de ferro contida no cerebelo. Estes resultados positivos verificaram-se primeiro  nos distúrbios sensitivos e esfincterianos (como a incontinência ou a constipação), em seguida na execução dos movimentos, no domínio da palavra, na marcha   e no equilíbrio.  « Estes resultados muito positivos não tinham sido  previstos  nesta faze  tão precoce do ensaio clínico », salientaram os autores do trabalho.

    Uma experiência semelhante será feita em nivel internacional, em colaboração com a firma farmacêutica canadense Apo Pharma. A deferiprona poderia também ser utilizada para o tratamento de outras patologias mais banais, como as anemias consecutivas  às doenças inflamatórias crônicas.

     

    3.REVISTAS

     

    *Impacte medecine

    *La revue française de psychiatrie et de psychologie medicale 

    *L’encephale

    *Neuropsy 

    *Nervure 

    *PSN :(psychiatrie, sciences humaines, neurosciences) : rue de la convention, 75015 paris. Fax : 0156566566

    *Psychiatrie française

    *Psydoc-broca.inserm.fr/cybersessions/cyber.html

    *Evolution psychiatrique

     

    4. ASSOCIAÇÕES

     

    *Association française pour l’approche integrative et eclectique en psychotherapie (afiep)

    *Association française de psychiatrie et psychologie legales (afpp)

    *Association française de musicotherapie (afm)

    *Association art et therapie

    *Association française de therapie comportementale et cognitive (aftcc)

    *Association francophone de formation et de recherche en therapie comportementale et Cognitive (afforthecc)

    *Association de langue française pour l’etude du stress et du trauma (alfest)

    *Association de formation et de recherche des cellules d’urgence medico-psychologique (aforcump)

    *Association nationale des hospitaliers pharmaciens et psychiatres (anhpp)

    *Association scientifique des psychiatres de secteur (asps)

    *Association pour la fondation Henri Ey

    *Association internationale d’ethno-psychanalyse (aiep)

    *Collectif de recherche analytique (cora)

    *Ecole parisienne de gestalt

    *Ecole française de sexologie

    *Ecole de la cause freudienne

    *Groupement d’études et de prevention du suicide (geps)

    *Groupe de recherches sur l’autisme et le polyhandicap (grap)

    *Groupe de recherches pour l’application des concepts psychanalytiques a la psychose (grapp)

    *Société française de gérontologie

    *Société française de thérapie familiale (sftf)

    *Société française de psychopathologie de l’expression et d’art-therapie(sfpe)

    *Société française de recherche sur le sommeil (sfrs)

    *Société française de relaxation psychotherapique (sfrp)

    *Fédération française d’adictologie

    *Société ericksonienne

    *Société de psychologie medicale et de psychiatrie de liaison de langue française

    *Société médicale Balint

    *Union nationale des amis et familles de malades mentaux (unafam)

    *Association Psychanalytique de France (apf)

    *Société Psychanalytique de Paris (spp)

     

     

     Coordination (coordenador): Eliezer de HOLLANDA CORDEIRO

    [email protected]


    TOP