Volume 11 - Março de 2006
Editor: Giovanni Torello


Abril de 1999 - Vol.4 - Nº 4

PSICOSE (PARTE III)

Cintia Dias

Na Psychiatry On-line Brazil (4) 02 1999 iniciamos o tema ao qual daremos continuidade neste mês.

Desta vez, falaremos um pouco sobre o transtorno bipolar do humor, antigamente chamado de PMD (psicose maníaco depressiva).

O que é transtorno bipolar?

Todos nós possuímos momentos na vida onde ficamos excessivamente triste ou alegres, porém, este transtorno mental, a pessoa apresenta uma alternância entre momentos de euforia (chamada fase maníaca), de depressão de forma mais intensa que o comum e geralmente sem um motivo, ou quando este existe é desproporcional a reação da pessoa.

Como se caracteriza uma crise maníaca?

Na mania (euforia) o humor fica muito exaltado que a pessoa tem a sensação de possuir muita energia, sente se como se fosse capaz de fazer qualquer coisa.

Geralmente passa a não sentir sono, alimenta-se menos que o normal (pois acha que não precisa de nada), pode gastar mais do que de fato pode. Às vezes, torna-se agressiva, pois descorda daqueles que tentam mostrar lhes a realidade. É justamente esta ruptura com a realidade que chamamos de psicose (ver números anteriores desta revista).

Mas e a fase depressiva, como se caracteriza?

Bom, a fase depressiva é basicamente o oposto da mania, ou seja a pessoa sente se muito triste, acha que é incapaz de fazer as coisas que antes executava normalmente, apresenta alteração no apetite (para mais ou para menos); o sono também é freqüentemente afetado. Em casos mais graves a pessoa pode desejar morrer e às vezes, chega a tentar se matar.

A depressão do transtorno bipolar é chamada depressão maior como já foi discutido anteriormente (volumes 12/1998 e 01/1999 desta revista).

A evolução da doença é igual para todos?

Há três tipos de evolução:

  1. T. Bipolar tipo I – alternância entre depressões e pelo menos uma crise maníaca.
  2. T. Bipolar tipo II – alternância entre depressões e hipomania.
  3. T. Bipolar de ciclagem rápida – quatro ou mais episódios ao ano, tanto podem ser depressões, manias ou hipomanias.

O que é hipomania?

Trata se de uma quadro de mania leve, às vezes a irritabilidade predomina sobre a euforia, o paciente pode conseguir controlar sua aceleração física e/ou mental. Em resumo, não apresenta sintomas psicóticos.

Qual é o tratamento para esta doença?

O tratamento de escolha é o uso de estabilizadores do humor (carbonato de lítio, carbamazepina ou ácido valpróico).

Nas fases depressivas é fundamental a associação dos antidepressivos, e quando há sintomas psicóticos (seja na mania ou depressão), esta indicado o uso de neurolépticos.

As psicoterapias também possuem seu papel, porém devem estar associadas ao tratamento medicamentoso e nunca como único recurso.

Próximo mês abordaremos um pouco o tema Esquizofrenia, Aguardem...

Espero seus E-mails.


TOP