Volume 11 - Março de 2006
Editor: Giovanni Torello


Setembro de 1998 - Vol.3 - Nº 9

Psiquiatria Baseada em Evidências

coordenação: Dra Ana C Chaves
Pesquisa Eletrônica da Literatura Médica e Biomédica: Um Guia Prático

Antonio Carlos Lopes*
*Médico residente de 3.° ano em Psiquiatria, Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo UNIFESP/EPM.

Introdução

Pesquisar a literatura médica e biomédica nunca foi uma tarefa fácil. Horas e horas desperdiçadas com referências misturadas a pilhas de livros, até conseguir descobrir uns poucos artigos, os quais, ao final, percebe-se não ter relação nenhuma com o que se deseja encontrar. Finalmente, alguém um dia lhe aconselha a fazer a pesquisa através do computador, a qual parece mais fácil. Surpreendentemente, dezenas de prateleiras com livros cabem em uns poucos CD-ROMS. Entusiasmado, você se esforça em compreender como lidar com o programa de banco de dados do computador. Mais uma vez, horas e horas são gastas, até chegar-se à conclusão de que é melhor desistir: parece impossível decifrar aqueles complicados comandos e expressões.

A maioria de nós deve ter passado por situação semelhante algum dia, enquanto pesquisador. As bases de dados eletrônicas, de fato, oferecem um acesso mais rápido e fácil à pesquisa de referências, desde que se esteja familiarizado a princípios básicos sobre como obter uma pesquisa através destes recursos.

Em primeiro lugar, deve-se escolher qual base de dados manipular, já que existem várias atualmente à disposição. A National Library of Medicine (NLM) dos Estados Unidos criou, inicialmente, a MEDLARS (MEDical Literature Analysis and Retrieval System), na década de 60. A partir de 1971, ela se transformou na MEDLINE (MEDlars onLINE), composta atualmente por mais de 9 milhões de referências a artigos publicados em mais de 3900 jornais ou periódicos da áreas médica e biomédica, desde 1966, dos Estados Unidos e de outros 70 países. A maior parte das publicações estão em inglês. Hoje em dia, pode-se acessar a MEDLINE facilmente através da Internet, através de serviços gratuitos ou pagos, em qualquer lugar do mundo. EMBASE representa o equivalente europeu da MEDLINE, desenvolvido pela Excerpta Medica Foundation. Possui referências de 4700 jornais e revistas de 110 países. Cerca de 56 % destas publicações são do continente europeu. Podemos recuperar publicações da América latina e do Caribe com maior facilidade através da base de dados LILACS, organizada pelo Centro Latino Americano e do Caribe de Informações em Ciências da Saúde - BIREME. Todas estas bases de dados lidam preferencialmente com literatura médica e biomédica. É possível a compra de versões em CD-ROM destas bases de dados, vendidas por diversas companhias de software.

Caso seu interesse seja bastante específico, é aconselhável procurar outras bases de dados diferentes também. Por exemplo, suponhamos que se desejem artigos de revisão sobre "psicoterapias". É interessante que não se procure somente na MEDLINE por estes artigos, mas também em uma base de dados específica para a área de Psicologia, como a PsycLit. Por sua vez, um biólogo se beneficiaria também se pesquisasse na base de dados da Biological Abstracts, ao procurar por "zoonoses". Pode-se investigar se alguém já publicou seu mais recente artigo no último ano, ou quantas vezes ele publicou alguma coisa, se publicou, em toda a sua vida, através da Science Citation Index (SCISEARCH).

Diferenças à parte, a maioria das bases de dados compartilham de uma estrutura algo semelhante para a recuperação de citações bibliográficas. Alguns exemplos são discutidos a seguir, baseados na MEDLINE. Informações adicionais podem ser obtidas em outras publicações (Lowe & Barnett, 1994; Sikorski & Peters, 1997).

MeSH o quê??

Algumas pessoas provavelmente nunca escutaram este termo antes. Outras, possuem uma noção vaga de seu verdadeiro significado. "MeSH Terms" significam termos de "Medical Subject Headings". Toda vez que uma citação nova estiver fôr incluída na MEDLINE, bibliotecários na National Library of Medicine escolhem 10 a 12 palavras que representam o conteúdo ou o assunto do artigo. Estas palavras (chamadas MeSH Terms) provém de uma enorme lista, criada anteriormente pela National Library of Medicine, contendo palavras-chave ou tópicos que se aplicam a quaisquer conceitos médicos ou biomédicos, atualizados anualmente. Elas auxiliam na recuperação mais rápida da literatura. Por exemplo, caso esteja intessado em um artigo sobre fototerapia em recém-nascidos com icterícia, podemos encontrar e procurar através dos MeSH Terms em inglês Phototherapy, Infant, Newborn, e Jaundice. Necessita-se apenas combinar estes termos, de modo a recuperar os artigos desejados. Caso você preste atenção em como cada artigo é citado na MEDLINE, perceberá que uma lista de termos descreve sobre o assunto do artigo, qual o seu desenho metodológico, etc.

MeSH Terms estão organizados hierarquicamente em uma estrutura de árvore, com os níveis superiores de ramificação representando conceitos ou tópicos mais genéricos. As subdivisões inferiores comportam assuntos mais específicos. Por exemplo, ao procurar por artigos genéricos sobre "transtornos de ansiedade", pode-se utilizar do MeSH Term Anxiety Disorders, logo abaixo do MeSH Term Mental Disorders (Tabela 1). Por sua vez, se o interesse fôr em "fobias específicas", seria melhor procurar em um MeSH Term hierarquicamente inferior, como Phobic Disorders. Caso se necessite de uma pesquisa detalhada, incluindo não apenas termos genéricos para ansiedade, mas também todas as suas subdivisões (ou seja, tudo relacionado a ansiedade), especifique para "explodir" o MeSH Term Anxiety Disorders.

Tabela 1 - Estrutura em árvore para o MeSH Term "Anxiety Disorders", 1998.


Top of MeSH Tree

Mental Disorders

Anxiety Disorders

Agoraphobia

Neurocirculatory Asthenia

Obsessive-Compulsive Disorder

Panic Disorder

Phobic Disorders

Stress Disorders, Post-Traumatic

Combat Disorders


O que fazer quando não se sabe, ou não se encontra o MeSH Term adequado para o assunto de interesse? Nestes casos, a MEDLINE possui uma lista de palavras ou frases com significado semelhante para cada MeSH Term, denominadas Entry Terms. Por exemplo, se você digitar a palavra social phobia (equivalente em português a fobia social), a qual é uma Entry Term, dentro do chamado MeSH Browser da MEDLINE existente no site da Internet "PubMed", da NLM, será apontado automaticamente o MeSH Term Phobic Disorders. Por outro lado, caso se procure por "fobias específicas" (specific phobias), ou "medo de computador" (computer phobia), os quais não são Entry Terms, você receberá como resposta uma lista contendo diferentes Entry Terms. Tudo o que você necessita fazer é escolher o Entry Term que melhor expresse seu alvo de busca (como Phobia).

Existem ainda outras ferramentas poderosas disponíveis. Se desejar, é possível limitar a busca a partir de Publication Type(tipo de publicação), artigos de revisão (Review), ou ensaios clínicos randomizados (Randomized Controlled Trials). Pode-se também procurar por nomes de jornais ou periódicos específicos, nomes de autores, nomes de substâncias, línguas, volumes, etc.

"MeSH Subheadings" são capazes de limitar o número de citações, recuperando apenas aspectos específicos de um MeSH Term. Um lista destas MeSH Subheadings se aplica a todos os MeSH Terms da MEDLINE. Logo, seria possível encontrar tópicos específicos relacionados a fobias, através da adição de MeSH Subheadings como Genetics (genética), Diagnosis (diagnóstco), Drug Therapy (terapia medicamentosa), etc.

Você não ficou muito ansioso, ou com medo da MEDLINE, ficou?

MeSH OU NÃO MeSH?

Utilizar-se de MeSH Terms não é a única maneira de se recuperar um assunto de interesse. Podemos também procurar por palavras soltas ou frases em meio ao título de citações, ou dentro textos de resumos dos artigos (os abstracts). Esta estratégia é adequada para procurar assuntos os quais não possuam um equivalente em MeSH Terms, ou quando se necessite recuperar um grande número de citações, através da combinação de palavras no título ou no resumo com MeSH Terms. Fique preparado, porém, para receber muitas citações irrelevantes e perder alguns artigos importantes. Caso esteja interessado em transtornos fóbicos, se você digitar a palavra de texto phobia (equivalente a "fobia", em português), provavelmente se perderão artigos contendo expressões como phobic ("fóbico"), ou fear ("medo"). Em compensação, receberá artigos sobre ooforectomia, parafilias, gene transportador de dopamina, cuidados infantis no Japão, anorexia nervosa, etc.

Finalmente, não devemos nos esquecer do importante conceito de operadores booleanos. Estas são expressões que indicam como combinar diferentes MeSH Terms ou palavras entre si. Suponha necessitar de um artigo sobre tratamento psicoterápico da esquizofrenia. Dentre todos os artigos publicados sobre psicoterapia, você necessita apenas daqueles os quais relacionam psicoterapia em pacientes esquizofrênicos. De forma semelhante, entre todos os artigos sobre esquizofrenia, só interessa recuperar aqueles descrevendo sobre o uso de psicoterapia. Como podemos notar, isto representa uma intersecção (esquizofrenia X psicoterapia). Neste caso, deveríamos utilizar o operador booleano "AND" ("E", em português), para combinar estes dois termos, em uma frase do tipo "Schizophrenia [MeSH Terms] AND psychotherapy [Text Word]" (figura 1). Agora, suponhamos que você queira incluir artigos os quais abordem tanto psicoterapia, quanto farmacoterapia, ambos para pacientes esquizofrênicos. Primeiramente, portanto, necessita-se unir todos os artigos sobre psicoterapia e todos sobre farmacoterapia, em um só conjunto. Isto não é uma intersecção, mas sim uma união (psicoterapia + farmacoterapia), a qual se expressa através do operador booleano "OR" ("OU", em português). Digite a frase "Psychotherapy [Text Word] OR pharmacotherapy [Text Word]". Combine então os dois termos anteriormente unidos com o termo para esquizofrenia, e obterá as citações desejadas, como na expressão "(Psychotherapy [Text Word] OR pharmacotherapy [Text Word]) AND Schizophrenia [MeSH Terms]". Por fim, talvez você prefira excluir da pesquisa aquelas citações relacionadas ao uso de terapia comportamental, um dos tipos de psicoterapia, como tratamento psicoterápico da esquizofrenia. Esta tarefa é facilmente realizada com a utilização do operador booleano "NOT" ("NÃO"), também chamado de "BUT NOT" ou "AND NOT", conforme a característica do software. A frase final portanto se pareceria com isto: "(psychotherapy [Text Word] BUT NOT behavior therapy [Text Word]) AND schizophrenia [MeSH Terms]". Você ainda não enlouqueceu, correto?

 Figura 1. Exemplos de pesquisas utilizando operadores booleanos.

 boolean.gif (9643 bytes)

Diferentes bases de dados oferecem diferentes ferramentas para pesquisa. Algumas mantém uma estrutura bastante parecida à da MEDLINE, como a LILACS. A maioria possui termos específicos para indexação, semelhantes aos MeSH Terms, como os "Subject Index" da Biological Abstracts, ou as palavras dos "Thesaurus" da EMBASE e da PsycLit. Os operadores booleanos são universais - apenas mínimas variações são encontradas.

Referências

  1. Lowe HJ, Barnett O. Understanding and using the Medical Subject Headings (MeSH) vocabulary to perform literature searches. JAMA 1994; 271(14):1103-8.
  2. Sikorski R, Peters R. Medical literature made easy - Querying databases on the Internet. JAMA 1997; 277(12):959-60.

TOP