Volume 11 - Março de 2006
Editor: Giovanni Torello


Dezembro de 1998 - Vol.3 - Nº 12

Psiquiatria Baseada em Evidências

coordenação: Dra Ana C Chaves

Age-Associated Testosterone Decline in Men: Clinical Issues for Psychiatry.

Autor: Harvey Sternbach

Revista: American Journal of Psychiatry, 155:1310-1318, 1998.

Questão: Este artigo faz uma revisão da literatura sobre os efeitos da diminuição da testosterona com a idade em homens saudáveis e os e as consequências deste processo nas funções cognitivas, reprodutivas, psicossexuais e o impacto nas massas óssea e muscular. Revisa, também, os estudos da terapia de reposição hormonal em homens e as implicações da síndrome do climatério masculina para o campo da psiquiatria.

Fontes de pesquisa: Foi realizada uma pesquisa no MEDLINE utilizando os seguintes destritores : male climacteric, male menopause, andropause, viropause, low-testosterone syndrome e testosterone replacement therapy. A busca foi restrita a artigos em inglês.

Seleção dos estudos: Não houve um critério para selecionar os estudos.

Principais resultados:

Função reprodutiva: persiste com a idade, apesar de mudanças na produção de espermatozóides. Não é possível afirmar o efeito da idade do homem na gravidez e na taxa de nascimento porque não existem estudos apropriados.

Função sexual: a função sexual e a resposta ao estímulo alteram-se com a idade e a diminuição da testosterona. No entanto, a testosterona parece não ser muito importante para a ereção, apesar de que em homens hipogonadais a administração melhora a libido e a tumescência peniana noturna.

Função Cognitiva: a maioria dos estudos tenta associar nível de testosterona e desempenho na cognição espacial. Não existe um consenso da literatura.

Humor: A influência da diminuição da testosterona no humor dos homens também é pouco estudada e faltam estudos controlados sobre o climatério do homem. Os estudos sobre a relação entre níveis de depressão e testosterona são inconsistentes e os resultados são muito contraditórios. Alguns estudos de terapia de reposisão hormonal em homens mostram melhora da depressão, mas em geral estes são estudos abertos, não controlados e com resultados muito divergentes.

Massa muscular e óssea: diminuição da força muscular e aumento da gordura corporal com a idade mas não é claro se estão associados com a diminuição da testosterona.

Tratamento da deficiência da testosterona: poucos estudos controlados que avaliem a terapia de reposição hormonal com testosterona.

Conclusões: O climatério masculino é um construto controverso que tem sido sugerido como um estado análogo à menopausa feminina. Para o autor o termo mais apropriado seria Síndrome de Baixa Testosterona, já que os homens não param de produzir testosterona e a capacidade de reprodução é mantida, diferente das mulheres.

Este conceito, também tem implicações para a psiquiatria, na avaliação de homens idosos e de meia idade porque os sintomas podem ser muito parecidos com transtornos psiquiátricos e o psiquiatra deve levar em consideração a possibilidade destes serem secundários a baixos níveis de testosterona.

Contudo, esta síndrome necessita ainda ser mais estudada e o autor enfatiza a necessidade de ser validada e recomenda a terapia de reposição hormonal somente para homens com clara diminuição dos níveis de testosterona e restringir o uso de testosterona em homens com níveis normais somente para aqueles com HIV positivo.

COMENTÁRIOS:

Esta revisão chamou a atenção pela metodologia empregada na revisão e por discorrer sobre um assunto pouco discutido em periódicos de psiquiatria.

Em relação à metodologia da revisão podemos perceber que não houve um objetivo claro a ser levantado. O autor tenta dar uma idéia geral da importância da diminuição da testosterona com a idade e das possíveis consequências relacionadas a este fato, mas acaba ampliando muito o espectro da discussão. Talvez isto seja decorrência da falta de estudos nesta área, mas em qualquer revisão é interessante focalizar em algum assunto como por exemplo , a validade do construto síndrome do climatério em homens.

Apesar destes problemas fica claro nesta revisão como este é um assunto pouco estudado. Enquanto que nas mulheres a influência dos hormônios é amplamente estudada e suas relações com a saúde mental feminina, tanto na puberdade, como na fase reprodutiva como no climatério, , estes aspectos parecem totalmente abandonados em relação aos homens. Por que será que isto acontece, já que a maioria dos ensaios clínicos em medicina utilizam homens, e uma das justificativas é que os hormônios femininos poderiam influenciar as respostas terapêuticas ? no meu modo de ver um motivo a mais para se utilizar mulheres? Será que este é um assunto muito díficil de ser estudado, tanto do ponto de vista físico, como do ponto de vista cultural e psicológico? De qualquer forma acho interessante que isto comece a ser levantado e que possa ser motivo de discussão e validação

Questionário de rastreamento da Universidade de St.Louis da Síndrome de Baixa Testosterona

  • Você tem uma diminuição da libido (vontade de sexo)?
  • Tem falta de energia?
  • Tem diminuição na força ou na resistência?
  • Tem perdido peso?
  • Notou uma diminuição do "prazer pela vida"?
  • Está triste ou irritadiço?
  • Suas ereções estão mais fracas?
  • Acaba dormindo logo após o jantar?
  • Notou uma deterioração na sua capacidade de praticar esportes?
  • Notou uma deterioração no seu desempenho no trabalho?

TOP