Psyquiatry online Brazil
polbr
Volume 22 - Novembro de 2017
Editor: Giovanni Torello

 

Novembro de 2013 - Vol.18 - Nº 11

France - Brasil- Psy

Coordenação: Docteur Eliezer DE HOLLANDA CORDEIRO

Quem somos (qui sommes-nous?)                                  

France-Brasil-PSY é o novo espaço virtual de “psychiatry on  line”oferto aos  profissionais do setor da saúde mental de expressão  lusófona e portuguesa.Assim, os leitores poderão doravante nela encontrar traduções e artigos em francês e em português abrangendo a psiquiatria, a psicologia e a psicanálise. Sem esquecer as rubricas habituais : reuniões e colóquios, livros recentes, lista de revistas e de associações, seleção de sites.

Qui sommes- nous ?

France-Brasil-PSY est le nouvel espace virtuel de “psychiatry on line”offert aux professionnels du secteur de la santé mentale d’expression lusophone et française. Ainsi, les lecteurs pourront désormais y trouver des traductions et des articles en français et en portugais  concernant la psychiatrie, la psychologie et la psychanalyse. Sans oublier les rubriques habituelles : réunions et colloques, livres récentes, liste de revues et d’associations, sélection  de sites

SOMMAIRE (SUMÁRIO):

 

  • 1. BIOGRAFIAS TERAPÊUTICAS PARA RECONSTRUIR SUAS VIDAS
  • 2. LIVROS RECENTES
  • 3. RÉUNIÕES E COLÓQUIOS
  • 4. REVISTAS
  • 5. ASSOCIAÇÕES


  • 1) BIOGRAFIAS TERAPÊUTICAS PARA RECONSTRUIR SUAS VIDAS

    LE MONDE | 08.01.2013 à 10h48• Mis à jour le 08.01.2013 à 12h04

    Benjamin Leclercq [Monde Académie] - Chartres, Envoyé spécial

    Traduzido por Eliezer de Hollanda CordeiroAbonnez-vous
    à partir de 1 €

    fermer

    Réagir

    Pour réagir, abonnez-vous au Monde.fr
    à partir de 1 €

    Abonnez-vous

    Classer

    Conservez-le pour le consulter plus tard. Abonnez-vous au Monde.fr
    à partir de 1 €

    Abonnez-vous

    O Senhor Gilles, embora sob perfusão, caminha no largo corredor, entra no que lhe  parece ser um quarto de hospital, senta-se, reajusta seus suspensórios e fixa  um olhar impaciente em direção de uma interlocutora. No cabide, uma blusa branca, e em frente dele, uma biógrafa.

    Nada de blusa nem de exames médicos, apenas uma caneta e un grande caderno azul. Nada de doença também, não se trata disto.O Senhor Gilles, 68 anos, ‘’ três vezes avô’’, veio por causa do seu ‘’livrinho’’,como ele o chama. O mesmo ritual ocorre a cada duas semanas. Quando a  quimioterapia começa, ele corre depressa para conversar com Valéria, afim de acrescentar algumas páginas suplementares à história de sua vida e tornar o livrinho um pouco maior.

    Desde 2007, o serviço de cancerologia do centro hospitalar Louis-Pasteur de Chartres, propõe aos pacientes em situação não curativa de escrever a história de suas vidas, narrada somente pela voz do doente, e escrita por duas mãos, as de Valéria Milewski,biógrafa.Uma maneira de agir que se encontra no provérbio, escrito às pressas no quadro-negro de seu bureau:”Quando tu não sabes onde vais, olha de onde vens.” O fio condutor de um complemento à medicina alopática: “Construir um tutor com essas pessoas desestruturadas,sobre o qual eles podem se apoiar, no momento em que as circunstâncias de suas vidas  fazem surgir uma intensa necessidade de espiritualidade, de transmissão,de fazer um exame de suas vidas”,  testemunha a biógrafa.

    “O LIVRO DE VÔVÔ”

    Antes de se tornar biógrafa, Valeria Milewski, 45 anos, cabelos pretos e compridos, feição altaneira, escrevia dramas para teatro.Cansada, matriculou-se como escritora pública em 2005 para continuar a idéia que não lhe sai da cabeça. Dois anos mais tarde,  ela apresentou o seu projeto ao Louis Pasteur. O pacto é selado: "não temos dinheiro mas o faremos!" Quarenta livros mais tarde, o pacto continua firme.

     

    Às 11horas e 45 minutos, a biógrafa propõe o término da reunião. O Sr. Gilles faz de conta que não entende e continua, falador, a discussão. Na ordem do dia, desordenadamente, sua carteira de motorista para vehículos pesados, porque "seus netinhos devem saber que a carteira de motorista do avô tem ainda seus 12 pontos"; que ele continua fazendo trabalhos na casa móvel onde mora e que não quer deixar;  mas ele evita abordar  os incômodos causados pelo tratamento que toma desde que tem de trabalhar; que ele  continua a vestir seu macacão azul de mecânico – carroceiro e trabalhando somente  "à 20%".

    Sem  diminuir  a benevolência da biógrafa, ele prolonga a reunião, como se quizesse que o prazer durasse e o retorno à sala de tratamento atrasasse.

     

    Ele "começoiu a trabalhar há dois anos e meio. Ele começou lentamente, depois aumentou. Eu encontro detalhes esquecidos", explicou. Detalhes para seus descendentes, seus filhos e seus netos. "Eles não sabem nada sobre mim, eu nem sempre  estive presente, eu trabalhei muito. Eu explico como eu conduzi  minha vida, como fiz para me sair disto. " Uma espécie de "coleção de boas idéias... e também  de idéias ruins! Isto servirá para "o livro de vôvô", disse sorrindo.

    Para ele, era urgente transmitir sua mensagem a cada paciente. O diário  e suas lições para o Sr. Gilles, uma vontade de prevenção para Clarisse-Andrée Essah-Mbarza, 49 anos. Longe da casa dela, que fica na França, onde ela foi visitar um parente. Foi  aí que ela  soube da gravidade de sua doença. Uma hospitalização de emergência e eis que foi obrigada  a ficar hospital. Então seu livro tornou-se  a história de uma revolta contra a injustiça de viver  "num país, a República Centro-Africana, onde se nega a doença", onde não se percebe a sua próparia doença; "Quero sair deste silêncio que mata, para que sirva de lição aos outros", explica calmamente. É uma oportunidade para mobilizar a sua energia e seu tempo, diante do desraizamento e da solidão, para ‘’viver a doença de forma diferente e se sentir aliviada": Clarisse-Andrée escreve seus textos em sua casa e os retoma em seguida com a biógrafa.

    "ISTO NÃO É UM TESTAMENTO"

     

    No hospital, a história sofre  a influência do tempo. Snr. Gilles e Clarisse-André preencheram vários cadernos, mas a maioria dos pacientes só escrevem algumas páginas. Os narradores não pronunciam  a palavra "morte", não evocam sua próprias mortes. Se a questão do sofrimento ou o resultado da batalha  surge discretamente, nas entrelinhas, a idéia  não é a de concluir sua vida. "Isto não é um testamento. Com Valéria, fazemos apenas um livro", resume Gilles. "A doença ocupa  a maior parte do tempo, apenas  algumas linhas das histórias", salienta Valeria Milewski. Isto não é uma última confissão, também não é  uma psicanálise. "Não é aqui que as pessoas escavam seus sofrimentos psicológicos," diz ela.

     

    "Podemos falar de uma pessoa no final de sua vida e não apenas de um corpo no final da vida." As histórias permanecem confidenciais, eles não as lêm. "Elas pertencem a eles’’, observa Chantal Thaluet, enfermeira chefe. Não conhecer  a história deles, é permanecer  objetivo em nossa escuta.”

    São 17 horas. Com o passo cansado, Clarisse-André vai para casa, trajando o seu amplo vestido africano. Logo mais, Snr. Gilles vai reajustar seus suspensórios e voltar  para a sua casa. No trajeto, eles vão talvez pensar no que ainda têm a dizer, em seu pequeno livro.

    Para a profissão médica, que luta para perpetuar esta experiência, a biografia "terapêutica" tem suas virtudes. "Isto muda o olhar da medicina, recoloca-a no seu lugar," descreve o doutor Solub.  

     

    ”UM LIVRO QUE ME AJUDOU A FAZER O LUTO”

     

    Momento importante para os parentes, a apresentação do livro vai ocorrer  cerca de oito meses após a saída do paciente. "Após o luto para não exacerbar a dor," explica Valeria Milewski.

     

    Christiane C., 68 anos, recebeu em fevereiro de 2012 o livro de seu marido, morto em setembro de 2010. "Eu estava ansiosa para lê-lo, mas esperei  um pouco. Eu temia ficar emocionada demais”, disse. “No início de abril, levei-o comigo para ler no País basco, onde temos um apartamento e íamos juntos." A leitura foi inicialmente difícil. "Eu timaginava que ele ia falar sobre nossa vida familiar." Ora, "ele não falava muito  de nós. Ele fala no livro  de sua juventude dolorosa, um tabu que ele não costumava abordar,  no livro ele positiva muitas coisas, especialmente  sua relação com o pai. Isto deixou-o mais aberto e lhe fez muito bem, é evidente."

     

    Hoje, ela considera que isto lhe  "ajudou a  fazer o trabalho de luto". Com ou sem o livro? "Com", respondeu com um sorriso comovido. "Isto colocou em evidência que estávamos em diferentes registros. Eu esperava outra coisa mas gostei de lê-lo e que me sinto  feliz de transmiti-lo  aos meus filhos." O livro,vai assim  continuar a sua vida nas mãos de seus dois filhos. "O primeiro lêu-o  e disse-me que o ajudou a entender certas atitudes de um pai que  não mimava os filhos, que não brincava com eles,  por causa de sua história." Estou feliz porque ele poude fazer este constato. E espero que este livro se torne  um apoio  para um  diálogo com os meus filhos, para retomar certas coisas com eles."

     

    2) LIVROS RECENTES

    ** Le masochisme

    ANDRÉ Serge 

    Gironde, Lormont, Le Bor de l’eau, collection ‘’La Muette’’

    2013 - 7 €

    **Le sadisme 

    ANDRÉ Serge 

    Gironde : Lormont, Le Bor de l’eau, coll. ‘’La Muette’’,  2013 -  7 €

    **Les enveloppes psychiques

    J.DORON, D. HOUZEL, E. MISSENARD

    Paris, Dunod, 2013-  24 €

    **Penser la psychanalyse : avec Bion, Lacan, Winnicott, Laplanche, Aulagnier, Anzieu, Rosolato

    GREEN, André

    Paris, les éditions d’Ithaqu, 2013- Br.  20 €

    **L’école de Palo Alto

    PICARD Dominique, MARC Edmond

    Paris, PUF, 2013-   9€

    **Joyce McDOUGALL

    Société Psychanalytique de Paris

    Colloque 2012

    Sous la direction de Bernard CHERVET  et Paul DENIS

    Paris,  Société Psychanalytique de Paris, 2013-  15€

    **Les théâtres de Joyce McDOUGALL : l’héritage d’une psychanalyste engagée

    Sous la direction de Sander KIRSCH, Jacques VAN WYNSBERGHE

    Toulouse, EPEL, 2012 -   23€

    **Évolution psychiatrique (L’). 78-1 Réhabilitation

    Issy-les-Moulineaux, Elsevier, 2013-   28 €

    **Tristesse business : le scandale du DSM5

    LANDMAN, Patrick

    Paris : Max Milo, 2013-   12€

    **L’anthropologue et le monde global

    AUGE Marc

    Paris :Armand Colin, , 2013-   21,90 €

    **La bioéthique, pour quoi faire ?

    Par les membres du Conseil consultatif national d’éthique ; coordonné par Ali  Bemmaklouf

    Paris : PUF, 2013 -  13 €

    **Le fétichisme 

    ANDRÉ Serge 

    Paris : Dunod, 2013 -   7 €

    **Autour de l’œuvre de Jean-Paul VALABREGA : permanence et métamorphose

    Sous la direction de Jean-Jacques BARREAU

    Paris, In press, 2013 -   22 €

    **Marx, Lacan: l’acte révolutionnaire et l’acte analytique

    Sous la direction de S.LIPPI, P. LANDMAN

    Toulouse : Erès, 2013-  29,50 

    **L’avenir de la haine

    LE BRUN Jean-Pierre

    Paris : Fabert, 2013-  3,95 

    **Mon corps et ses images

    NASIO Juan-David

    Paris : Payot, 2013-  9,15 

    **Du temps pour soi : conquérir son temps intime

    SCHIMITT Laurent

    Paris : Odile Jacob, 2013-  8,90 €

    **Mal de femme : la perversion au féminin

    ABELHAUSER Alain

    Paris: Seuil, 2013-  24 €

    **Le générationnel : approche en thérapie familiale Psychanalytique

    A.EIGUER, A.CARIL, F. ANDRÉ-FUSTIER

    Paris : Dunod, 2013-  22 €

    **Psychopathologie et handicap de l’enfant et de l’adolescent : approches cliniques

    J-Y. BARREYRE, C. BURSZTEIN, A. CICCONE

    Toulouse : Erès, ,2013-   26,00 

    3) REUNIÕES E COLÓQUIOS

    *OUTUBRO 2013

    Em Brest(Finistère), dias 11 e 12: o Agrupamento dos hospitaos  de dia psiquiátricos Bélgica-França-Suissa   organisa o XXXXI colóquio sobre o tema

    4) REVISTAS

    L’Evolution pychiatrique

    L’Information psychiatrique

    Impacte Medecine

    La Revue Française De Psychiatrie Et De Psychologie Médicale

    L’Encephale

    Psychiatrie Française

    L’Autre, Culture et Sociétés

    5)ASSOCIAÇÕES

    *Mission Nationale d’Appui En Sante Mentale

    *Association Française De Psychiatrie Et Psychologie Legales (Afpp)

    *Association Française De Therapie Comportementale Et Cognitive (Aftcc)

    *Association Francophone De Formation Et De Recherche En Therapie Comportementale Et Cognitive  (Afforthecc)

    *Association De Langue Française Pour L’etude Du Stress Et Du Traumatisme (Alfest)

    *Association Pour La Fondation Henri Ey

    * Association Française de Thérapie du Traumatisme des Violences Sexuelles et familiales et de Prévention (AFTVS) Site internete: www.psylegale.com

    *Association Aquitaine pour L'information Médicale et l'Epidémiologie en Aquitaine AAPIMEP

    *Association Française des Psychychiatres. d'Exercice Privé AFPEP

    *Association  pour la Promotion de l'Assur. Qualité en Santé Mentale ANCREPSY

    *Association  Scientifique des Psychiatres de Secteur ASPS *Association Francophone de Formation et de Recherche en Therapie Comportementale et Cognitive (A.F.FOR.THE.C.C.)


    TOP