Psyquiatry online Brazil
polbr
Volume 22 - Novembro de 2017
Editor: Giovanni Torello

 

Outubro de 2013 - Vol.18 - Nº 10

France - Brasil- Psy

Coordenação: Docteur Eliezer DE HOLLANDA CORDEIRO

Quem somos (qui sommes-nous?)                                  

France-Brasil-PSY é o novo espaço virtual de “psychiatry on  line”oferto aos  profissionais do setor da saúde mental de expressão  lusófona e portuguesa.Assim, os leitores poderão doravante nela encontrar traduções e artigos em francês e em português abrangendo a psiquiatria, a psicologia e a psicanálise. Sem esquecer as rubricas habituais : reuniões e colóquios, livros recentes, lista de revistas e de associações, seleção de sites.

Qui sommes- nous ?

France-Brasil-PSY est le nouvel espace virtuel de “psychiatry on line”offert aux professionnels du secteur de la santé mentale d’expression lusophone et française. Ainsi, les lecteurs pourront désormais y trouver des traductions et des articles en français et en portugais  concernant la psychiatrie, la psychologie et la psychanalyse. Sans oublier les rubriques habituelles : réunions et colloques, livres récentes, liste de revues et d’associations, sélection  de sites

SOMMAIRE (SUMÁRIO):

 

  • 1. AS ORIGENS LITERÁRIAS DA PSICANÁLISE
  • 2. LIVROS RECENTES
  • 3. RÉUNIÕES E COLÓQUIOS
  • 4. REVISTAS
  • 5. ASSOCIAÇÕES


  • 1) AS ORIGENS LITERÁRIAS DA PSICANÁLISE

    Eliezer de Hollanda Cordeiro (Tradução e rezenha)

    Referências: Adèle Van Reeth e Philippe Petit

    Emissão : Les Nouveaux Chemins de la Connaissance,  23.11.2012

    Convidados :
    Jean-Bertrand Pontalis, filósofo e psicanalista
    Edmundo Gomez Mango, escritor e psicanalista

     

    “Freud com os escritores. Poderíamos quase dizer Freud com seus companheiros, Freud com seus duplos, Freud com seus aliados e rivais.

    Mas poderíamos também completar e dizer Freud com Freud, de tal maneira ele era um homem de livro e de escrita, um epistoleiro incansável, um mestre da polêmica, um teórico e, além disso, um contador de histórias.

    Freud  escreveu a Fliess, em setembro de 1899: há escondido em algum lugar em mim, um senso da forma, uma maneira de considerar a beleza como uma espécie de perfeição mas as  frases contornadas de meus escritos sobre  o sonho ofenderam gravemente meu ego ideal.

    “Há com certeza em Freud uma tensão entre o seu amor pela literatura e seu amor pela ciência. E não é à toa que ele dizia que  suas histórias clínicas se liam   como  romances.

    O próprio objeto de sua pesquisa, a elaboração do sonho, aproximou  nele o homem de ciência do escritor. E ele reconheceu haver  escrito o seu livro   "Uma lembrança da infância de Leonardo da Vinci", como um romance psicanalítico genuíno, cujas   qualidades estilísticas muito lhe agradaram.

    Não obstante,  Freud tomou muito cuidado  para não confundir literatura e psicanálise e para que suas relações com os escritores, obedecessem às mais variadas razões.

    Não se pode  comparar a admiração que Freud tinha por Romain Rolland ou Émile Zola, e a que ele tinha por  Stefan Zweig. Daí o enorme interesse deste livro - "Freud com os escritores" que acaba de ser publicado pela editora  Gallimard – onde é questão dos autores que, sem dúvida, influenciaram Freud: Shakespeare, Goethe, Schiller, Heine, Romain Rolland e muitos outros...”

     

    Mesa redonda com  Geneviève BRISAC, Tobie NATHAN e Catherine CLEMENT sobre o livro ‘’Freud com escritores’’ (de Edmundo Gómez Mango e Jean-Baptiste Pontalis) (ed. de l'Olivier)  e a Correspondência entre Sigmund Freud e Anna Freud (Fayard).

    GENEVIÈVE BRISAC 

    ‘’Houve  uma evolução nas décadas passadas, quando a  Psicanálise era anexada à filosofia. Agora, através  de Marx e de Freud,  aprendemos  a desconstruir este movimento. E, sob  a impulsão dada por Jean-Bertrand Pontalis e Michel Gribinski, a reflexão dos psicanalistas começou a se aproximar  da literatura.

    Em universidades americanas, o estudo   dos traumas através da literatura levou os estudantes a se lembrarem de que as raizes dos trabalhos de Freud foram literárias. Quanto à minha experiência pessoal, minha  maneira de abordar a psicanálise veio da literatura, dos escritos de  Virginia Woolf( https://pt.wikipedia.org/wiki/Virginia_Woolf),  por exemplo,ou as vezes dos trabalhos que eu lí sobre a anorexia.

    Toda a criação procede  de um acesso direto ao inconsciente, como disseq Odilon Redon. Tudo o que impede este recurso  direto ao inconsciente inibe a criação. » Pontalis incita a pensar um outro lugar, fora da teoria da  filosofia ou da  ciência,  a partir da  linguagem, dos sonhos, cujos caminhos permitem o acesso ao  inconsciente. É neste ponto que  a literatura encontra a  psicanálise,  a sublimação como  ponto comum, mas ela não  passa pelo mesmo caminho. Para Pontalis, um pensamento que nos surpreende   é um pensamento que se move. A Psicanálise não poude se mover enquanto permaneceu  fechada em sua armadura teórica. Foi a  literatura que lhe permitiu escapar ao  dogmatismo. É preciso que estes  dois elementos dialoguem. Toda criação decorre de um acesso direto ao inconsciente, como disse Odilon Redon. Tudo que vem dificultar  o recurso direto do inconsciente inibe a criação.

    Não se trata de uma identidade profissional. O psicanalista tem a obrigação de obter  resultado porque  a psicanálise tem uma função curativa. Em 1978, diziam  muitas "bobagens " sobre a psicanálise. Eu estava  cheia e publiquei um livro intitulado ‘’Os filhos de Freud estão cansados’’ afim de  pedir aos analistas para apegarem-se à sua vocação terapêutica.

    Pontalis só passou para  a literatura como um escritor depois de fechar seu gabinete. Ele deixou seus pacientes para se dedicar à  literatura propriamente dita.

    Há uma contradição para o psicanalista entre psicanálise e literatura: ele não pode escrever, porque  ele vai buscar permanenetemente as razões pelas quais ele escreve o que não deve fazer.

    Pontalis resume sua posição  através do termo d’ « amour courtois » (do "amor cortês"). Ele soube encontrar a distância precisa entre a literatura e a psicanálise. Pontalis também soube guardar a distância  necessária com Sartre: ele foi um dos únicos a deixar a revista  Les Temps Modernes, quando Sartre e Beauvoir quiseram destruir a Universidade. Pontalis soube adotar  um tipo de relacionamento cortês com a realidade, uma distância que lhe era  necessária. Mas eu me pergunto se  a literatura não corre um perigo ao especular em demasia com a psicanálise.”

    CATHERINE CLÉMENT

    «Pontalis  restituiu    a importância da literatura  para a psicanálise. Ele continua dizendo que o psicanalista pode julgar-se psicanalista. Não se trata de uma identidade profissional. O psicanalista tem uma obrigação de resultado, como a psicanálise tem uma função curativa.

    «Pontalis  restituiu    a importância da literatura  para a psicanálise. Ele continua dizendo que o psicanalista pode julgar-se psicanalista. Não se trata de uma identidade profissional. O psicanalista tem uma obrigação de resultado, como a psicanálise tem uma função curativa.

    Em 1978, muita bobagem foi dita sobre a psicanálise. Não suportando tantas bobagens , publiquei um livro intitulado ‘’Os filhos de Freud estão cansados’’, no qual pedí aos analistas para não negligenciarem  sua vocação terapêutica. Pontalis só passou para a  literatura como escritor depois de fechar seu gabinete.

    O analista procura se desconectar de seus pacientes quando ele escreve.Mas  existe uma contradição entre psicanálise e literatura: o psicanalista  corre o risco de procurar  continuamente as razões que levaram-no a escrever.

    Pontalis gosta do termo "amor cortês". Ele procura guardar uma distância entre literatura e psicanálise. Foi assim que ele poude guardar  sua distância com Sartre: Pontalis  foi um dos únicos que deixou a revista ‘’Les Temps Modernes’’,  quando Sartre e Beauvoir quiseram  destruir a Universidade. Pontalis sempre teve um tipo  de relacionamento cortês à realidade, uma distância que se tornou uma exigência de sua parte. Mas eu me pergunto  se a literatura não correria um perigo se ela viesse a se aproximar demasiadamente da psicanálise. »

    TOBIE NATHAN

    É uma questão muito antiga. Freud cita autores como referências, alegorias, mas isso não significa que ela se se inspirou neles . Devemos nos interrogar   sobre a construção das narrativas: Freud é um grande fabricante de histórias. Por exemplo fabricou muitas na Interpretação dos sonhos, por exemplo. Ele contou fábulas, como a da Horda primitiva. Deste ponto de vista, ele foi essas histórias na psicanálise. Finalmente, ele de tal maneira fascinou e até mesmo causou terror em pessoas, que ele mesmo foi pouco  uitilizado como uma personagem de  romance. Um extraordinário romance foi publicado em 2007. É o romance policial, A interpretação dos assassinatos, que foi um enorme sucesso e que conta a viagem  de Freud nos Estados Unidos. Este é um livro fabuloso que fez de Freud  uma personagem, e foi preciso esperar pelos romances policiais para alcançar isto!

    Não esqueçamos a parte selvagem da psicanálise: os surrealistas aprenderam que a criação vinha das profundezas do self.”

     

    2) LIVROS RECENTES

    ** Le masochisme

    ANDRÉ Serge 

    Gironde, Lormont, Le Bor de l’eau, collection ‘’La Muette’’

    2013 - 7 €

    **Le sadisme 

    ANDRÉ Serge 

    Gironde : Lormont, Le Bor de l’eau, coll. ‘’La Muette’’,  2013 -  7 €

    **Les enveloppes psychiques

    J.DORON, D. HOUZEL, E. MISSENARD

    Paris, Dunod, 2013-  24 €

    **Penser la psychanalyse : avec Bion, Lacan, Winnicott, Laplanche, Aulagnier, Anzieu, Rosolato

    GREEN, André

    Paris, les éditions d’Ithaqu, 2013- Br.  20 €

    **L’école de Palo Alto

    PICARD Dominique, MARC Edmond

    Paris, PUF, 2013-   9€

    **Joyce McDOUGALL

    Société Psychanalytique de Paris

    Colloque 2012

    Sous la direction de Bernard CHERVET  et Paul DENIS

    Paris,  Société Psychanalytique de Paris, 2013-  15€

    **Les théâtres de Joyce McDOUGALL : l’héritage d’une psychanalyste engagée

    Sous la direction de Sander KIRSCH, Jacques VAN WYNSBERGHE

    Toulouse, EPEL, 2012 -   23€

    **Évolution psychiatrique (L’). 78-1 Réhabilitation

    Issy-les-Moulineaux, Elsevier, 2013-   28 €

    **Tristesse business : le scandale du DSM5

    LANDMAN, Patrick

    Paris : Max Milo, 2013-   12€

    **L’anthropologue et le monde global

    AUGE Marc

    Paris :Armand Colin, , 2013-   21,90 €

    **La bioéthique, pour quoi faire ?

    Par les membres du Conseil consultatif national d’éthique ; coordonné par Ali  Bemmaklouf

    Paris : PUF, 2013 -  13 €

    **Le fétichisme 

    ANDRÉ Serge 

    Paris : Dunod, 2013 -   7 €

    **Autour de l’œuvre de Jean-Paul VALABREGA : permanence et métamorphose

    Sous la direction de Jean-Jacques BARREAU

    Paris, In press, 2013 -   22 €

    **Marx, Lacan: l’acte révolutionnaire et l’acte analytique

    Sous la direction de S.LIPPI, P. LANDMAN

    Toulouse : Erès, 2013-  29,50 

    **L’avenir de la haine

    LE BRUN Jean-Pierre

    Paris : Fabert, 2013-  3,95 

    **Mon corps et ses images

    NASIO Juan-David

    Paris : Payot, 2013-  9,15 

    **Du temps pour soi : conquérir son temps intime

    SCHIMITT Laurent

    Paris : Odile Jacob, 2013-  8,90 €

    **Mal de femme : la perversion au féminin

    ABELHAUSER Alain

    Paris: Seuil, 2013-  24 €

    **Le générationnel : approche en thérapie familiale Psychanalytique

    A.EIGUER, A.CARIL, F. ANDRÉ-FUSTIER

    Paris : Dunod, 2013-  22 €

    **Psychopathologie et handicap de l’enfant et de l’adolescent : approches cliniques

    J-Y. BARREYRE, C. BURSZTEIN, A. CICCONE

    Toulouse : Erès, ,2013-   26,00 

    3) REUNIÕES E COLÓQUIOS

    *OUTUBRO 2013

    Em Brest(Finistère), dias 11 e 12: o Agrupamento dos hospitaos  de dia psiquiátricos Bélgica-França-Suissa   organisa o XXXXI colóquio sobre o tema

    4) REVISTAS

    L’Evolution pychiatrique

    L’Information psychiatrique

    Impacte Medecine

    La Revue Française De Psychiatrie Et De Psychologie Médicale

    L’Encephale

    Psychiatrie Française

    L’Autre, Culture et Sociétés

    5)ASSOCIAÇÕES

    *Mission Nationale d’Appui En Sante Mentale

    *Association Française De Psychiatrie Et Psychologie Legales (Afpp)

    *Association Française De Therapie Comportementale Et Cognitive (Aftcc)

    *Association Francophone De Formation Et De Recherche En Therapie Comportementale Et Cognitive  (Afforthecc)

    *Association De Langue Française Pour L’etude Du Stress Et Du Traumatisme (Alfest)

    *Association Pour La Fondation Henri Ey

    * Association Française de Thérapie du Traumatisme des Violences Sexuelles et familiales et de Prévention (AFTVS) Site internete: www.psylegale.com

    *Association Aquitaine pour L'information Médicale et l'Epidémiologie en Aquitaine AAPIMEP

    *Association Française des Psychychiatres. d'Exercice Privé AFPEP

    *Association  pour la Promotion de l'Assur. Qualité en Santé Mentale ANCREPSY

    *Association  Scientifique des Psychiatres de Secteur ASPS *Association Francophone de Formation et de Recherche en Therapie Comportementale et Cognitive (A.F.FOR.THE.C.C.)


    TOP