Psyquiatry online Brazil
polbr
Volume 22 - Novembro de 2017
Editor: Giovanni Torello

 

Março de 2013 - Vol.18 - Nº 3

France - Brasil- Psy

Coordenação: Docteur Eliezer DE HOLLANDA CORDEIRO

Quem somos (qui sommes-nous?)                                  

France-Brasil-PSY é o novo espaço virtual de “psychiatry on  line”oferto aos  profissionais do setor da saúde mental de expressão  lusófona e portuguesa.Assim, os leitores poderão doravante nela encontrar traduções e artigos em francês e em português abrangendo a psiquiatria, a psicologia e a psicanálise. Sem esquecer as rubricas habituais : reuniões e colóquios, livros recentes, lista de revistas e de associações, seleção de sites.

Qui sommes- nous ?

France-Brasil-PSY est le nouvel espace virtuel de “psychiatry on line”offert aux professionnels du secteur de la santé mentale d’expression lusophone et française. Ainsi, les lecteurs pourront désormais y trouver des traductions et des articles en français et en portugais  concernant la psychiatrie, la psychologie et la psychanalyse. Sans oublier les rubriques habituelles : réunions et colloques, livres récentes, liste de revues et d’associations, sélection  de sites

SOMMAIRE (SUMÁRIO):

 

  • 1. OS FILHOS DA PSICANÁLISE
  • 2. LIVROS RECENTES
  • 3. REVISTAS
  • 4. ASSOCIAÇÕES


  • 1) OS FILHOS DA PSICANÁLISE 

    Marion Mari-Bouzid : Les enfants de la psychanalyse,  Mon Petit Éditeur (Paris), 2012, 308 pages, 25 €

    Resenha feita por  Jacques Van Rillaer - SPS n°303, janvier 2013

    Tradução e resumo: Eliezer de Hollanda Cordeiro

    “Os historiadores do freudismo notaram por acaso  que muitos filhos de psicanalistas não ganharam nada  da  educação "desinibida" que receberam, a  começar pela  filha mais nova de Freud, Anna, que nunca foi capaz de se separar do pai,  apesar das  sessões diárias de psicanálise realizadas por Freud durante  quatro anos. Quando Anna, depois de estudar para ser professora, tornou-se psicanalista, ela analisou Dorothy Burlingham, que se tornou, por sua vez, analista. Os quatro filhos de Burlingham foram também analisados por Anna Freud. Dois se suicidaram, um deles na  casa de Freud. Hermine Hug von Hugenstein,  a primeira psicanalista de crianças, foi assassinada por seu sobrinho Rudolf, que ela tinha criado  de 9 a 18 anos, após a morte de sua irmã (1).

    Em sua correspondência com Max  Eitingon (2), Freud escreveu em 1920,  que estava procurando  um analista para seu filho Olivier,  que sofria de uma "Neurose obsessiva" (31 de outubro). Algumas semanas mais tarde, ele afirmou: "ser objectivo neste caso é particularmente difícil para mim, porque [Olivier] era meu orgulho e minha esperança secreta, até o momento em que ele se  tornou a minha maior preocupação, isto a partir do momento  em que sua organização anal-masoquista manifestou-se claramente e que as tentativas de levá-lo a  acceder a uma função genital fracassaram.[…] Uma sensação de impotência que me faz sofrer "(13 de dezembro de 1920).

    Ernest Jones, em 16 de maio de 1927, escreveu a Freud: "embora tenhamos criado nossos dois  filhos o mais sabiamente que nossos  conhecimentos nos permitiram, nenhum deles  escapou  da neurose.  A análise mostrou, como de costume, que suas neuroses  eram  muito mais graves do que pensávamos. […] Verificou-se que a menina sofria de um severo complexo de castração, de uma intensa culpabilidade e de  uma neurose obsessiva típica.  E o menino era muito introvertido, vivia em um mundo de sonhos, como um  bebê,  e sofria de uma inversão sexual quase total’’.

    Jacques Van Rillaer, escreveu que  nenhum livro sobre os filhos de psicanalistas havia sido publicado até hoje,  mas que esta lacuna foi preenchida por Marion Mari-Bouzid, que  fez seus  estudos numa universidade onde o ensino da psicologia clínica era centrado na obra de Freud. Ela adquiriu  um bom conhecimento dos conceitos psicanalíticos. Seu livro não é sobre a evolução infeliz de filhos de famosos analistas. É uma investigação psicossociológica, baseada  em entrevistas aprofundadas  de quatro filhas e cinco filhos de psicanalistas franceses famosos. As entrevistas duravam de uma hora e meia a três horas. Essas pessoas tinham entre 20 e 35 anos de idade e eram capazes de examinar, de maneira objetiva,  como foram educadas. A  autora demonstrou rigor metodológico no seu trabalho,  nas numerosas  citações dos entrevistados que ilustram a sua análise e  e ao citar  as  questões que colocara.

    O livro mostra que quase todos os  psicanalistas se consideram  úteis.  Além disso, eles são muito engajados professionalmente, pensam constantemente, relacionam-se sobretudo com os colegas. Alguns querem restringir suas práticas à esfera profissional, mas todos os filhos deles foram marcados pelo freudismo e as  vezes pelo  lacanismo. Estas crianças ficaram  presas na ‘’teia’’ de aranha psicanalítica . Elas  percebem o mundo com  óculos freudianos: tudo tem sempre um outro significado do que aquilo que aparece, nada é trivial, nada acontece por acaso, o menor ato falho gera o reflexo da interpretação do significado reprimido, as relações pais-filhas são problemáticas, porque cada um ‘'sabe'’ que as  tendências incestuosas nunca faltam em tais circunstâncias.    

    Os filhos dos analistas entrevistados passam muito tempo a se analisar, por isso pensam  alcançar seus desejos autênticos (a grande questão dos psicanalistas atuais). Assim fazendo, muitos descobrem seus conflitos, por conseguinte consideram-se neuróticos. Eles se diagnosticam “histéricos”, “obsessivos”,  "um pouco paranóicos", etc. e meditam  indefinidamente sobre suas  dificuldades existenciais. Para se livrarem disso, alguns começam uma cura, outros se engajam em ações concretas, notadamente  a ação política,  sem falar dos que  continuam buscando alguém que lhes dê conselhos práticos, um  psicanalista ortodoxo  que costume retornar as questões colocadas  pelas pessoas...

    Outra característica dos filhos desses analistas: eles bancam facilmente o psicanalista quando encontram  amigos e camaradas. Alguns retiram destes papéis fictícios  um sentimento de poder e de superioridade, mas ao fazerem  assim, eles perdem  seus amigos. Outros compreendem  o aspecto  excessivo desse comportamento e se abstêm de praticá-lo abertamente. Em suma,  a “lucidez” freudiana pode custar   muito caro aos filhos de analistas,  e não  facilita a vida deles . É uma das principais lições da pesquisa.

    O livro de Marion Mari-Bouzid   é repleto de anedotas significativas e instrutivas, como a  de uma filha de analista que está  fazendo uma análise pessoal. Ela contou  que  "seu pai não queria mudar a maneira como arrumara   seu gabinete, explicando  que,   se ele o modificasse, seus pacientes iriam gastar ao menos quinze minutos  a dizer: o Senhor  mudou o vaso, colocou outra coisa no seu  lugar,  aliás acho até que ficou melhor assim ,  ou então assim ficou  pior...  E eu, eu fui ver meu  psi recentemente, ele havia jogado fora as plantas verdes  do gabinete,  então eu lhe disse, rindo:  ‘’O Senhor jogou fora  as plantas verdes .Ele responde, sim,  então acrescentei  : estou rindo porque  isto me  faz lembrar meu pai mudando  suas  coisas  no gabinete  e me dizendo : durante o dia inteiro vou ter  direito a o Senhor  mudou coisas".

    O trabalho de Marion Mari-Bouzid, ocupa um lugar importante na história da psicanálise e na sua importância educacional. Após um século de propagação do freudismo,  somos todos, pouco ou muito,  '’filhos da Psicanálise ".  Seu livro deveria interessar mais os leitores do que os livros escritos por especialistas em psiquiatria e psicologia’’.

    1) Ver Han Israels (2001) "Dr. Hug-Hellmuth: o diário de uma adolescente", SPS n º 246, pp. 34-38.

     

    2) LIVROS RECENTES

    *Idéologie et religion : une passion amoureuse-Mémoires, Histoire, Inconscient

    GLOPPE Dominique

    Paris, L’Harmattan, Collection Psychanalyse et civilisations

    2012 - 20 €

     

    *À la vie, à la mort : euthanasie : le grand malentendu

    BATAILLE Philippe

    Paris, Autrement, 2012- 12 

     

    *Sommes-nous libres

    ATLAN Henri, VERGELEY, Bertrand

    Paris, Salvator, 2012- 14 €

     

    *L’autre moi-même : les nouvelles cartes du cerveau,

    de la conscience et des émotions

    DAMASIO Antônio

    Paris, Odile Jacob, 2012 - 10,90 €

     

    *Correspondance : 1904-1938

    FREUD Sigmund, FREUD, Anna

    Paris, Fayard, 2012- 35€

     

    *Lettres à ses enfants

    FREUD Sigmund

    Paris, Aubier, 2012 – 27 €

     

    *Prisonniers du grand Autre : Jacques LACAN, Marc-François LACAN,

    Bernard SICHERE, Jean-Luc MARION, Jean-Christophe BAILLY,

    Pier-Paolo PASOLINI, Romeo CASTELLUCI

    Paris, EPEL, 2012-  23 €

     

    *Le discours mélancolique : de la phénoménologie à la métapsychologie

    Marie-Claude LAMBOTTE

    TOULOUSE, Erès, 2012, 22 €

     

    *Le packing avec les enfants autistes et psychotiques

    Pierre DELION

    TOULOUSE, Erès, 2012- 12 €

     

    *La clinique psychanalytique contemporaine

    André GREEN

    Paris, Les Éd. D’Ithaque, 2012- 22 €

     

    *Souffrance psychique des sans abris : vivre ou survivre

    Alain MERCUEL

    Paris, Odile Jacob, 2012 -  21,90 €

     

    *Médecins st sorciers

    NATHAN Tobie, STENGERS Isabelle

    Paris, Les empêcheurs de tourner en rond : La Découverte

    2012- 16 €

     

    *Le langage, l’inconscient, le réel

    Centre culturel international (Cerisy-la-Salle, Manche),

    Paris, Éd. du Champ lacanien, 2012 -  20 €

     

    *L’organo-dynamisme en psychiatrie : la modernité d’Henri Ey

    PALEM Robert

    Paris, L’Harmattan, 2012 -  218 €

     

    3) RÉUNIÕES E COLÓQUIOS

     

    ABRIL 2013

    *Em PARIS,  dia 4, às 20h30, o Séminaire Babylone organiza um seminário cujo tema é: Qu’est-ce que regarder un tableau? A partir de Freud, Lacan, Vélasquez, Vermeer, Duchamp, entre outros. Seminário dirigido por Alain VANIER.

    Informações e inscrições: Corinne DUGRÉ-LE BIGRE, 01-56 61 69 19

    Endereço eletrônico:   [email protected]   de noite, a partir de 20 h

     

    MAIO 2013

    *Em MARSELHA (data ainda não prevista),  a Association Française de Psychiatrie propõe um encontro interdisciplinar regional sobre o tema “O assédio moral e sexual no trabalho”.

    Informações e inscrições: Telefone 01 42 71 41 11

    endereço eletrônico : [email protected]çaise.com

    Site internete: www.psychiatrie-française.com

     

    JUNHO 2013

    *Em PARIS, dia 3: 20h 30, o Séminaire Babylone organiza um seminário sobre a arte, cujo tema é “Manet et Narcisse”, dirigido por Paul Denis.

    Informações e inscrições: Corinne DUGRÉ-LE BIGRE, 01-56 61 69 19

    Endereço eletrônico:   [email protected]   de noite, a partir de 20 h

     

    JULHO 2013

    *Em PARIS, dias 4 e 5: Psy et Crimino organiza um colóquio sobre o tems “Distúrbios da personalidade”.

    Informações e inscrições : Association Française de Thérapie du Traumatisme des Violences Sexuelles et familiales et de Prévention (AFTVS)

    Contactar Madame Valérie HERBST,  3 bis rue de l’Aigle, 92250, La Garenne6Colombes

    Telefone: 01 56 47 03 49

    Endereço eletrônico: [email protected]

    Site internete: www.psylegale.com

     

     REVISTAS


    L’Evolution pychiatrique

    L’Information psychiatrique

    Impacte Medecine

    La Revue Française De Psychiatrie Et De Psychologie Médicale

    L’Encephale

    Psychiatrie Française

    L’Autre, Culture et Sociétés



    4)Associações

    Mission Nationale d’Appui En Sante Mentale

    *Association Française De Psychiatrie Et Psychologie Legales (Afpp)

    *Association Française De Therapie Comportementale Et Cognitive (Aftcc)

    *Association Francophone De Formation Et De Recherche En Therapie Comportementale Et Cognitive  (Afforthecc)

    *Association De Langue Française Pour L’etude Du Stress Et Du Traumatisme (Alfest)

    *Association Pour La Fondation Henri Ey

    * Association Française de Thérapie du Traumatisme des Violences Sexuelles et familiales et de Prévention (AFTVS) Site internete: www.psylegale.com

    *Association Aquitaine pour L'information Médicale et l'Epidémiologie en Aquitaine AAPIMEP

    *Association Française des Psychychiatres. d'Exercice Privé AFPEP

    *Association  pour la Promotion de l'Assur. Qualité en Santé Mentale ANCREPSY

    *Association  Scientifique des Psychiatres de Secteur ASPS

     

    Association Francophone de Formation et de Recherche en Therapie Comportementale et Cognitive (A.F.FOR.THE.C.C.)


    TOP