Volume 22 - Novembro de 2017
Editor: Giovanni Torello

 

Agosto de 2012 - Vol.17 - Nº 8

France - Brasil- Psy

Coordenação: Docteur Eliezer DE HOLLANDA CORDEIRO

Quem somos (qui sommes-nous?)                                  

France-Brasil-PSY é o novo espaço virtual de “psychiatry on  line”oferto aos  profissionais do setor da saúde mental de expressão  lusófona e portuguesa.Assim, os leitores poderão doravante nela encontrar traduções e artigos em francês e em português abrangendo a psiquiatria, a psicologia e a psicanálise. Sem esquecer as rubricas habituais : reuniões e colóquios, livros recentes, lista de revistas e de associações, seleção de sites.

Qui sommes- nous ?

France-Brasil-PSY est le nouvel espace virtuel de “psychiatry on line”offert aux professionnels du secteur de la santé mentale d’expression lusophone et française. Ainsi, les lecteurs pourront désormais y trouver des traductions et des articles en français et en portugais  concernant la psychiatrie, la psychologie et la psychanalyse. Sans oublier les rubriques habituelles : réunions et colloques, livres récentes, liste de revues et d’associations, sélection  de sites

SOMMAIRE (SUMÁRIO):

 

  • 1. A MIDIATIZAÇÃO DA PSICANÁLISE
  • 2. LIVROS RECENTES
  • 3. REUNIÕES E COLÓQUIOS
  • 4. REVISTAS
  • 5. ASSOCIAÇÕES
  • 1) A MIDIATIZAÇÃO DA  PSICANÁLISE

    Dr. Eliezer de Hollanda Cordeiro

     

    Sempre exprimi reticências sobre as consultas dadas por psis pelas rádios e televisões,  sobre o interesse e a significação  de suas presenças em debates reunindo especialistas de outras disciplinas.Mas  ao mesmo tempo,   lembro-me que, entre as principais obras de Freud  encontram-se ‘’Totem e Tabu’’,  ‘’Mal-estar na civilisação’’, ‘’Moisés e o monoteismo’’ ou  a ‘’Gravida de Jansen’’ , obras nas quais o Mestre de Viena  aborda questões que parecem muito distantes da psicanálise e relacionadas  com outras esferas do saber: história,  arte,   religião, sociedade ou cultura. Freud  considerava  essas   obras de ‘’psicanálise aplicada’’   como fazendo parte das mais importantes que escreveu.

    Na França, os psicanalistas  lacanianos Françoise Dolto e Serge Leclaire foram os primeiros  a participar de programas psicanalíticos  pelas rádios e televisões. Françoise Dolto, disse  que a sua decisão de participar do  programa educativo Lorsque l’enfant parâit (Quando surge a criança), na  rádio France-Inter, ‘’ foi a mais dificil de sua vida’’.Neste programa,  o jornalista  Jacques Pradel lia as  questões dos ouvintes que pediam conselhos a François Dolto e esta respondia, comentava as cartas, aconselhava os pais e exprimia  interpretações..O programa começou  em outubro de  1976 e cessou em outubro de  1978, no auge de sua popularidade. Daí por diante, Dolto  tornou-se conhecida do grande público  e  o sucesso de seu programa deu lugar a outros baseados nos mesmos princípios mas estendidos  às famílias.

    A iniciativa da famosa analista, como era de se esperar,  suscitou reações contraditórias  nos meios psicanalíticos, alguns achando que ‘’Lorsque l’enfant paraît’’  sensibilizava as pessoas aos direitos da criança,  tornava os pais receptivos  à ética psicanalítica  que considera a criança como um sujeito verdadeiro.Não é exagerado  dizermos que a própria jurisprudência francesa começou a levar em conta o dicurso da psicanálise sobre a criança. Todos esses aspectos são positivos. Mas outros especialistas , ao contrário, denunciaram a iniciativa de Dolto e  criticaram a ‘’psicanálise pelas mídias’’, apontando os riscos que as pessoas encorriam, por exemplo a ‘’destabilisação dos equilíbrios psicológicos individuais do casal e da família’’, agravando as dificuldades em vez de melhorá-las.  

    Segundo Didier Pleux, doutor em psicologia do desenvolvimento, psicólogo clínico e autor do livro  ‘’De l'enfant roi à l'enfant tyran’’ (Do menino rei à criança tirânica),  já é tempo de ultrapassar  a época de Dolto : ‘’algumas idéias que ela defendeu naquela época’’, disse este autor,  ‘’perderam  o seu valor e não  correspondem à realidade da sociedade atual. Hoje em dia, o que ameaça a  criança não  é tanto o perigo dela ser ferida pelo autoritarismo dos pais mas   de ser  afetada pela permissividade  da sociedade  e pela civilização do prazer que levam  os pais a não impor  limites aos desejos dos filhos’’.  

    Se a experiência radiofônica e televisual de Françoise Dolto, apesar das polêmicas que suscitou, durou  bastante tempo  antes de desaparecer completamente, a experiência  televisual  do conhecido psicanalista  Serge Leclaire foi um desastre que durou pouco meses meses. Ele começou a participar do programa  de televisão,Psy Show,  em 1983,  deixando-o desde seus primeiros desvios e derrapagens. A iniciativa de Serge Leclaire deixou-me perplexo: o que foi que levou este homem sensivel, inteligente e culto,  autor  de obras reconhecidas e  importantes a participar de  um impúdico programa  de ‘’psicanálise’’ pela televisão, onde  casais vinham até  revelar a intimidade de suas vidas sexuais  a milhões de pessoas? Ver Serge Leclaire cair nesta cilada, tentando transformar um programa voyeuriste numa sessão de análise, como se estivesse  na privacidade de seu cabinete médico  me incomodou muito e, manifestadamente, muito embaraçou o próprio Leclaire.

    Outrora, as sessões de psicanálise se passavam no gabinete do psi, quadro ideal para este colóquio singular, solitário e discreto com o ‘’paciente’’. Hoje em dia, psis continuam dando  consultas públicas filmadas pela televisão, as vezes em  salas de espetáculos e diante de um público numeroso. Ví há alguns meses um documentário mostrando um psicanalista dando uma conferência. O auditório estava abarrotado e as pessoas se mostravam muito atentas   quando ele contava um caso clínico, riam quando ele  contava uma anedota ou aplaudiam o  brilhante pedagogo em certas ocasiões.  Terminada a palestra do analista,   pessoas  pediam-lhe conselhos sobre um assunto pessoal ou familiar, sem nenhum pudor. Que papel desempenha o psi que se exibe e se expõe desta maneira? Adeus o colóquio singular, a relação individual, a discreção necessária para o trabalho intersubjetivo e  a lenta elaboração interior do psi.

    Hoje em dia,  é a psicanalista Claude  Almost que dá consultas radiofônicas e responde  às questões dos auditores da estação de rádio estatal, France Info. Em recente entrevista,  ela explicou  as razões que levaram-na a fazer este programa:  ‘ela não pretende  resolver  os problemas das pessoas que a contactam,  mas procura dar-lhes orientações para que elas assumam suas próprias dificuldades’’. Claude Almost, nunca diria à mãe de uma criança enurética para colocar um copo com água perto da cabeceira de dormir do filho. A sugestão não  faz parte de sua prática. O procedimento é simples: um jornalista lê as cartas enviadas a Almost e esta  comenta  o teor das mesmas. Desde que existe um ‘’caso’’ complicado, Almost não hesita a dizer aos pais que seria bom que eles consultassem um especialista.É isto, no fundo, a melhor coisa que pode fazer um psi que aceita de participar de um programa  na rádio ou na televisão.

    2) LIVROS RECENTES

    *Champ lacanien, 10,

    La parole et l’écrit dans la psychanalyse

    Paris : École de psychanalyse des forums du champ lacanien-20 €

    *Les schizophrénies

    Mar-Louis BOUGEOIS

    Paris ; PUF, 2011-9 €

    *L’Homme selon le DSM : le nouvel ordre psychiatrique

    Maurice CORCOS

    Paris : Albin Michel, 2011-20 €

    *Qu’est-ce qui nous affecte ?

    Cours 2010-2011

    Colette SOLER

    *Évolution psychiatrique(L). 4 (2011)

    Schizophrénie

    J.GARRABE, F.POUPART, S.BARTHÉLEMY

    Elsevier, 2011-25 €

    *Santé mentale et précarité

    P.ARVEILLER, A. MERCUEL

    Paris : Lavoisier-PUF 2011-19 €

    *Six manifestes contre le DSM :

    Ravenne, Paris, Barcelone,Buenos Aires,Sao Joa Del Rei. 1

    Émile JALLEY

    Paris: L’Harmattan, 2011- 19 €

    *Six manifestes contre le DSM :

    Ravenne, Paris, Barcelone, Buenos Aires, Sao Joa Del Rei . 2

    Autres commentaires: censure, crise de l’enseignement

    Paris: L’Harmattan, 2011- 23,50 €

    3)REUNIÕES E COLÓQUIOS

    NOVEMBRO 2012

    *Paris( nos dia 16).  L’Association Française  de Psychiatrie organiza um  colóquio sobre o tema:

    ‘’La psychiatrie à l’âge d’or de l’islam’’. Informações e inscrições: Telefone; 01 42 71 45 11

    Internete: [email protected]çaise.com , site internete: www.psychiatrie-française.com

    4) REVISTAS

    L’EVOLUTION PYCHIATRIQUE

    L’INFORMATION PSYCHIATRIQUE

    IMPACTE MEDECINE

    LA REVUE FRANÇAISE DE PSYCHIATRIE ET DE PSYCHOLOGIE MÉDICALE 

    L’ENCEPHALE

    PSYCHIATRIE FRANÇAISE

    L’AUTRE, CULTURE ET SOCIÉTÉS

    5)ASSOCIAÇÕES

    MISSION NATIONALE D’APPUI EN SANTE MENTALE

    *ASSOCIATION FRANÇAISE DE PSYCHIATRIE ET PSYCHOLOGIE LEGALES (AFPP)

    *ASSOCIATION FRANÇAISE DE MUSICOTHERAPIE (AFM)

    ASSOCIATION ART ET THERAPIE

    *ASSOCIATION FRANÇAISE DE THERAPIE COMPORTEMENTALE ET COGNITIVE (AFTCC)

    *ASSOCIATION FRANCOPHONE DE FORMATION ET DE RECHERCHE EN THERAPIE COMPORTEMENTALE ET COGNITIVE (AFFORTHECC)

    *ASSOCIATION DE LANGUE FRANÇAISE POUR L’ETUDE DU STRESS ET DU TRAUMA (ALFEST)

    *ASSOCIATION DE FORMATION ET DE RECHERCHE DES CELLULES D’URGENCE MEDICO  PSYCHOLOGIQUE (AFORCUMP)

    *ASSOCIATION POUR LA FONDATION HENRI EY


    TOP