Volume 22 - Novembro de 2017
Editor: Giovanni Torello

Março de 2011 - Vol.16 - Nº 3

Psiquiatria na Prática Médica

RUIDOS OCUPACIONAIS E SINTOMAS PSIQUIÁTRICOS

Prof. Dra. Márcia Gonçalves
Coordenadora da disciplina da Psiquiatria da Unitau. [email protected]


O ruído, definido como "som indesejável", é percebido como um estressor do ambiente e incômodo.1

Consensualmente os efeitos não auditivos resultantes da exposição ao ruído são subestimados e complexos, e não existem muitos estudos sobre aumento da sinistralidade, stress ocupacional e redução da produtividade.1,2 Symptoms of common problems — such as depression, bipolar disorder, attention deficit hyperactivity disorder (ADHD), and anxiety — are all described in the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, Fourth Edition (DSM-IV).

Dr. Alice H. Suter Compreendendo o fenômeno do som e do ruído, o som é um fenômeno físico ondulatório periódico, resultante de variações da pressão num meio elástico que se sucedem com regularidade. O som pode ser representado por uma série de compressões e rarefações do meio em que se propaga, a partir da fonte sonora. Não há deslocamento permanente de moléculas, ou seja, não há transferência de matéria, apenas de energia. Ruído é "qualquer sensação sonora indesejável". Há quem vá além, que considera o ruído como "um som indesejável que invade nosso ambiente, ameaçando nossa saúde, produtividade, conforto e bem estar".

A ação perturbadora do som depende de suas características, como intensidade e duração; da sensibilidade auditiva, variável de pessoa para pessoa, da necessidade de concentração, como estudar e da fonte causadora, que pode ser atrativa, como uma discoteca.

As fontes de ruídos são advindos ruído das ruas, habitações, da aviões e nas indústrias, sendo este um dos mais importantes o papel da indústria na poluição sonora.

As faixas de risco são classificadas da seguinte forma: A perda total de audição pode acontecer se a pessoa fica sujeita diariamente, durante 8 horas seguidas, a sons com intensidade superior a 85 dB, como os registradores em discotecas fábricas de armamentos e aeroportos.

O ruído de 140 dB pode destruir totalmente o tímpano, provocando o que se denomina "estouro do tímpano". Quando o nível de ruído atinge 100 dB pode causar o "trauma auditivo" e surdez.  Ao nível de 120 dB, além de lesar o nervo auditivo, provocam no mínimo, zumbido constante nos ouvidos, tonturas e aumento do nervosismo.

 Existem Limites de intensidade d exposição ao ruído. São eles: Ruído com intensidade de até 55 dB não causa nenhum problema. Ruídos de 56 dB a 75 dB pode incomodar, embora sem causar malefícios à saúde. Ruídos de 76 dB a 85 dB pode afetar a saúde, e acima dos 85 dB a saúde será afetada, a depender do tempo da exposição. Uma pessoa que trabalha 8 horas por dia com ruídos de 85 dB terá, fatalmente, após 2 anos problemas auditivos.

A Surdez Profissional depende de características ligadas ao homem (hospedeiro), ao meio e ao agente (barulho).  Para que ocorram casos de surdez profissional, é necessário que haja uma exposição considerável ao ruído, isto é, a exposição a níveis elevados durante um longo período, sendo dois fatores interligados.

Although symptoms may go unnoticed, the economic consequences are tangible. A maior parte dos estudos relacionados com a temática de stress no trabalho (ruído entre eles) tem como principal objetivo a avaliação de indicadores individuais, tais como, a pressão sanguínea, a frequência cardíaca, a respiração, o funcionamento gastrointestinal, as funções endócrinas, o tamanho das pupilas, mudanças na tensão muscular e fadiga.3

Outros estudos, especialmente os orientados para trabalhadores com uma exposição crónica ao ruído, privilegiaram certos sintomas clínicos, como atrofia ou hipertrofia glandular, diminuição da resistência a doenças e anomalias no funcionamento sexual e reprodutivo.4

Os sintomas psiquiátricos frequentemente passam despercebidos por um tempo considerável, mas as consequências econômicas são evidentes. Studies assessing the full work impact of mental health disorders often use the World Health Organization (WHO) Health and Work Performance Questionnaire, which not only asks employees to report how many days they called in sick, but also asks them to assess, on a graded scale, how productive they were on the days they actually were at work. Os estudos que avaliam o impacto dos transtornos mentais no trabalho demonstram o quanto é onerosa a patologia mental. Stealth symptoms, tangible impactWhen researchers ranked the most costly health conditions (including direct and indirect costs), depression ranked first, and anxiety ranked fifth — with obesity, arthritis, and back and neck pain in between.Quando os pesquisadores classificaram as condições de saúde mais caras no ambiente de trabalho (incluindo os custos diretos e indiretos), classificada em primeiro lugar está a depressão, e a ansiedade está em quinto lugar juntamente com a obesidade, artrite , dores nas costas e no pescoço.3 The results are measured in days out of work (absenteeism) and lost productivity (“presenteeism”). Os resultados são medidos em dias fora do trabalho (absenteísmo) e perda de produtividade ("presenteísmo").The literature on mental health problems in the workplace suggests that the personal toll on employees — and the financial cost to companies — could be eased if a greater proportion of workers who need treatment were able to receive it.2

A literatura sobre transtornos de saúde mental no trabalho sugere que os custos financeiros para as empresas poderiam seria menores se os trabalhadores que necessitam de tratamento psiquiátrico pudessem realmente recebê-lo. The authors of such studies advise employees and employers to think of mental health care as an investment — one that's worth the up-front time and cost. Os autores de tais estudos aconselham empregados e empregadores a pensar em cuidados de saúde mental como um investimento como e não como custo.5

Most of the research on the costs and benefits of treatment has been done on employees with depression. Os sintomas de transtornos psiquiátricos, como depressão, transtorno bipolar, transtorno do déficit de atenção hiperatividade (TDAH), e ansiedade, But symptoms tend to manifest differently at work than they do at home or in other settings. tendem a se manifestar de forma diferente no ambiente de trabalho porque são frequentemente ocultados pelos funcionários.2 Quando a depressão é tratada adequadamente, as empresas reduzem significativamente os acidentes de trabalho, os dias de afastamento pela doença e rotatividade de funcionários, bem como, aumentam o número de horas trabalhadas e produtividade dos funcionários.5

Existem evidências de que o ruído poderá diminuir o desempenho nas atividades consideradas menos prioritárias quando os funcionários exercem múltiplas tarefas.  A capacidade de memória e as atividades que requerem a utilização desta  também são prejudicadas. Algumas tarefas, tais como, vigilância e detecção, com requisitos ao nível da concentração, são influenciadas pela exposição ao ruído,  com variações de  hora do dia e com  diferenças individuais.6 Um dos efeitos do barulho facilmente notados é sua influência sobre a comunicação oral. O barulho intenso provoca o mascaramento da voz. Este tipo de interferência atrapalha a execução ou o entendimento de ordens verbais, a emissão de avisos de alerta ou perigo e pode ser causa indireta de acidentes.3

O ruído interfere igualmente com a função de “recuperação” do sono com implicações na saúde em geral. As repercussões em longo prazo das alterações do sono na eficácia do trabalhador merecem estudos longitudinais.4  Existem efeitos posteriores à exposição, tais como, a redução na perseverança e mudanças no comportamento social, a fadiga e o aumento da irritabilidade, que podem estar associados à produção hormonal, nomeadamente à presença do cortisol na urina também pode produzir efeitos como uma menor tolerância à frustração, aumento da ansiedade, diminuição da incidência de comportamentos de ajuda, e aumento do risco de comportamento hostil em sujeitos experimentais. 6,7 8

Pessoas expostas ao ruído de aeronaves e de tráfego rodoviário apresentam sintomas psicológicos, mas não necessariamente com o quadro clínico definido como transtorno psiquiátrico. Em crianças, a exposição crônica ao ruído de aeronaves  prejudica a compreensão de leitura e memorização a de longo prazo. Mais pesquisas são necessárias para examinar as estratégias de enfrentamento das consequências desta exposição.8

E. Extra-Auditory Health Effects Noise has been implicated in the development or exacerbation of a variety of health problems, ranging from hypertension to psychosis. O ruído tem sido implicado em uma variedade de problemas de saúde, que vão desde a hipertensão à psicose, mas existem outros fatores que podem atuar, dificultando assim a obtenção de dados como nível sócio econômico, exposição a outros agentes ambientais, dieta, tabagismo, consumo de álcool.9

MORAES E REGAZZONI (1981), relatam que nenhum dos riscos existentes no ambiente de trabalho se faz tão presente como o ruído. Constataram que de 16 artigos sobre riscos físicos 14 abordaram a exposição ocupacional ao ruído, e destes, 2 relacionados com acidentes de trabalho.  O ruído é, na maioria dos países, o agente nocivo mais prevalente  no  ambiente  de  trabalho.9

1.Com relação à base fisiológica sobre o corpo,Noise is considered a nonspecific biological stressor, eliciting a response that prepares the body . o ruído é considerado um estressor inespecíficos biológicos, e provoca uma resposta que prepara o corpo for action, sometimes referred to as the "fight or flight" response.para "luta ou fuga". The physiological mechanism thought to be responsible for this reaction is the stimulation by noise (via the auditory system) of the brain's reticular activating system (Cohen, 1977). O mecanismo fisiológico responsável por essa reação é a estimulação (através do sistema auditivo) do sistema reticular do cérebro, do córtex em todo o sistema nervoso central. Noise can, therefore, influence perceptual, motor, and cognitive behavior, and also trigger glandular, cardiovascular, and gastrointestinal changes by means of the autonomic nervous system. O ruído pode, portanto, influenciar respostas motoras, perceptivas, cognitivas e de comportamento, e também acionar o sistema glandular e cardiovascular, além de provocar alterações gastrointestinais, por meio do sistema nervoso autônomo.Evidence of these effects, however, is not easy to.10

As perdas auditivas causadas pelo barulho excessivo podem ser divididas em três tipos: Trauma Acústico, surdez temporária e surdez permanente. A  exposição repetida dia após dia, a um barulho excessivo, pode levar o indivíduo a uma surdez permanente.9,11

O ruído pode trazer respostas de alteração clinicas e endocrinológicas. A exposição ao ruído de alta intensidade na indústria tem sido associada em alguns estudos para aumento dos níveis de noradrenalina e adrenalina, aumentando, no sangue, o fluxo de ácidos graxos e glicose e são observados distúrbios neurovegetativos, cefaleias, irritabilidade, instabilidade emocional, redução da libido, ansiedade, nervosismo, inapetência, sonolência, insônia. Há também evidências de que o ruído pode ajudar a diminuir o processamento das pistas sociais, vistas como irrelevantes para o desempenho da tarefa. Pode aumentar a agressividade e a memória também pode ser prejudicada 3,5, 12

A exposição ao ruído pode desencadear um tipo de resposta antecipatória, ou seja, mesmo na ausência de exposição real, o desempenho pode ficar prejudicado, se houver uma expectativa de exposição.13

As reações na esfera psíquica decorrentes da exposição ao ruído são de difícil mensuração e passam por vieses, pois dependem das características do agente, do meio, e das condições emocionais do hospedeiro, no momento da exposição.12 As reações podem manifestar-se através de irritabilidade, ansiedade, excitabilidade, desconforto, medo, tensão e insônia.2 Ainda podemos considerar alterações comportamentais como, consumo de tranquilizantes, perturbações labirínticas, fadiga, redução de produtividade, aumentos dos números de acidentes, aumento de consultas médicas, aumento  do absenteísmo, modificações das ondas eletroencefalográficas, fadiga nervosa, stress, perda da memória, irritabilidade e dificuldade em coordenar idéias, modificação do ritmo respiratório, diminuição da visão noturna, dificuldade na percepção das cores e elevação da pressão arterial.13

Além dos sintomas psicológicos descritos acima, o ruído pode levar a quadros psiquiátricos formalizados pelo DSM-IV. Many of the studies in this field have concluded that the indirect costs of mental health disorders — particularly lost productivity — exceed companies' spending on direct costs, such as health insurance contributions and pharmacy expenses. Depression is the mental health disorder that has been best studied in the workplace, partly because it is so common in the general population. A depressão, por  exemplo é o transtorno de saúde mental que tem sido melhor estudada no local de trabalho, e 6% dos trabalhadores apresentam sintomas de depressão em um determinado ano. Although the DSM-IV lists low mood as the defining symptom of depression, in the workplace this disorder is more likely to manifest in behaviors — such as nervousness, restlessness, or irritability — and in physical complaints, such as a preoccupation with aches and pains. Manifesta em comportamentos como nervosismo, passividade, alterações do sonoThey also may be fatigued at work, partly as a result of the mood disorder or because they are having trouble sleeping at night. ,  capacidade de tomada de decisão, concentração e atenção, inquietação ou irritabilidade e nas queixas físicas, como a preocupação com as dores, entre outros.In addition, employees may become passive, withdrawn, aimless, and unproductive. Bipolar disorder is typically characterized by cycling between elevated (manic) and depressed moods.8

Anxiety disorders in the workplace may manifest as restlessness, fatigue, difficulty concentrating, and excess worrying.Os transtornos de ansiedade no ambiente de trabalho podem se manifestar como agitação, fadiga, dificuldade de concentração e excesso de preocupação. Employees may require constant reassurance about performance. Os trabalhadores podem requerer reafirmação constante sobre o desempenho. Sometimes, as with depression, physical symptoms or irritability may be noticeable. Às vezes, como a depressão, sintomas físicos ou irritabilidade podem ser notados. Não é incomum a procura de cuidados médicos generalistas por problemas como desconforto gastrointestinal, distúrbios do sono ou problemas de coração e não para ansiedade.8

O TDAH é muitas vezes considerado um problema apenas na infância, mas também afeta adultos. An international survey in 10 countries (including the United States) estimated that 3.5% of employees have ADHD. Uma pesquisa internacional estimou que 3,5% dos funcionários têm TDAH. In the workplace, symptoms of ADHD may manifest as disorganization, failure to meet deadlines, inability to manage workloads, problems following instructions from supervisors, and arguments with co-workers. No local de trabalho, sintomas de TDAH pode se manifestar como desorganização, falta de cumprimento dos prazos, a inabilidade para gerenciar cargas de trabalho, problemas seguindo as instruções dos supervisores e discussões com colegas de trabalho.

Sintomas relatados entre os trabalhadores industriais regularmente expostos a níveis elevados de ruído em ambientes como escolas, fábricas e companhias aéreas, incluem náuseas, dores de cabeça, alterações no humor e ansiedade, inquietação, noites agitadas, tensão e nervosismo. A exposição crônica ao ruído de aeronaves diminuíram a motivação em crianças expostas.16,17 A exposição ao ruído causa perturbações no sono e distúrbios proporcionalmente à quantidade de ruído (tempo e intensidade). 8, 14, 15

Outra importante área de investigação  quanto aos efeitos do ruído está no desenvolvimento infantil. Estudos de crianças da escola primária expostas ao ruído ambiental houve diminuição do desempenho cognitivo. 20,2122  Entretanto, os efeitos do ruído não foram encontrados uniformemente a todas as funções cognitivas. As investigações sugerem que a exposição crônica ao ruído afeta as funções cognitivas envolvendo central de processamento e compreensão da linguagem. Os efeitos que foram encontrados podem ser resumidas como segue. Déficits foram encontrados em atenção sustentada e atenção visual.20,21

Evans em 1995 demonstrou que crianças expostas ao ruído têm dificuldades de concentração, em comparação com crianças de escolas silenciosas. Crianças expostas ao ruído ambiente crônica foram encontrados para ter pior discriminação auditiva e percepção de fala bem como mais pobres de memória que requerem alta demanda de processamento. As crianças cronicamente expostas tendem a ter uma capacidade de leitura e desempenho escolar mais pobres em testes nacionais padronizados.23,24

As associações dos efeitos do ruído e os sintomas psiquiátricos constituem um campo de pesquisa que pode auxiliar e contribuir na melhor qualidade de vida ocupacional (escola e trabalho).

1.                           Smith AP , Broadbent DE. Non-auditory Effects of Noise at Work: A Review of the Literature . Smith AP, Broadbent Contract Research Report No 30, London: HMSO, 1992

2.                    Stansfeld. S.A; Matherson. M.P. Poluição sonora: efeitos não-auditivos na saúde :   http://bmb. orxofordjournals.org. acessado 20/04/2011

3.                   Lercher P , Hörtnagl J, Kofler WW. Lercher P, J Hörtnagl Kofler WW. Work, noise annoyance and blood pressure: combined effects with stressful working conditions. Int Arch Occup Environ Health 1993 ; 63 : 23 –8      Cnockaert JC , Damongeot A, Floru R. Combined effects of noise and vibrations on performance and physiological activation. In: Manninen O (ed) Recent Advances in Researches on the Combined Effects of Environmental Factors .

4.                          Kahn JP, et al. Eds. Mental Health and Productivity in the Workplace: A Handbook for Organizations and Clinicians (John Wiley & Sons, 2003). Saúde Mental e Produtividade no Trabalho: Um Manual para Organizações e médicos (John Wiley & Sons, 2003).

5.                           Loeb M . Noise and Human Efficiency . Loeb M. Noise e Eficiência Humana. Chichester: Wiley, 1986 Chichester: Wiley, 1986

6.                          Melamed S , Kristal-Boneh E, Froom P. Industrial noise exposure and risk factors for cardiovascular disease: findings from the CORDIS Study. Noise Health 1999 ; 4 : 49 –56 Melamed S, Kristal-Boneh E, Froom P. exposição ao ruído industrial e fatores de risco para doença cardiovascular: a partir do CORDIS. Conclusões do estudo de ruído Saúde 1999; 4: 49 -56

7.                          Stansfeld SA, Gallacher J, Babisch W, Shipley M. ruído do tráfego rodoviário e transtorno psiquiátrico: a partir das conclusões da Caerphilly. Estudo Prospectivo BMJ 1996; 313: 266 -7

8.                          MORAES, A. G.; REGAZZONI, R. D. Perícia e avaliação de ruído e calor passo a passo – Teoria e prática. Rio de Janeiro: 2002.

9.                   Cohen S , Weinstein N. Non-auditory effects of noise on behavior and health. J Social Issues 1981 ; 37 : 36 –70 http://www.askmar.com/Noise/Noise%20Effects/Noise.html Ruído e seus Efeitos

10.                Hambrick-Dixon PJ . Hambrick Dixon-PJ. Effects of experimentally imposed noise on task performance of black children attending day centres near elevated subway trains. Dev Psychol 1986 ; 22 : 259 –64 Efeitos do ruído aplicada experimentalmente no desempenho de tarefas de crianças negras atendidas em centros de dia, perto metrô elevado:. Dev Psychol 1986; 22 259 -64

11.                Babisch W , Gallacher JEJ, Elwood PC, Ising H. Traffic noise and cardiovascular risk. Outdoor noise levels and risk factors. Arch Environ Health 1988 ; 43 : 407 –14 níveis de ruído exterior e fatores de risco:. Arch Environ Health 1988; 43 407 -14

12.                Jones DM  Chapman AJ, Auburn TC. Jones MS, AJ Chapman, Auburn TC. Noise in the environment: a social perspective. J Appl Psychol 1981 ; 1 : 43 –59 Sonoras para o ambiente: uma perspectiva social:. J Appl Psychol 1981; 1 43 -59

13.               Civil Aviation Authority. Aircraft Noise and Sleep Disturbance: Final Report . Autoridade de Aviação Civil: Avião. Noise Sleep Disturbance e Relatório Final. DORA Report 8008: London, 1980 Relatório DORA 8008: London, 1980

14.                Horne JA , Pankhurst FL, Reyner LA, Hume K, Diamond ID. Horne JA, FL Pankhurst, Reyner LA, K Hume, Diamond ID. A field study of sleep disturbance: effects of aircraft noise and other factors on 5,742 nights of actimetrically monitored sleep in a large subject sample. Sleep 1994 ; 17 : 146 –59 campo de estudo do sono: distúrbios efeitos de aeronaves e outros ruídos de fatores actimetrically 5742 noites de sono em uma grande amostra monitorada. assunto Sleep 1994, 17: 146 -59

15.                Vallet M , Gagneux J, Clairet JM et al. Heart rate reactivity to aircraft noise after a long-term exposure. Vallet M, Gagneux J, Clairet JM et al. Heart reatividade taxa de ruído das aeronaves após um prazo de longa exposição. In: Rossi G (ed) Noise as a Public Health Problem . In: Rossi G ed) Noise (como problema de saúde pública. Milan: Centro Recherche e Studio Amplifon, 1983 ; 965 –75 Milão: Recherche Centro Amplifon Studio e, em 1983; 965 -75

16.                Passchier-Vermeer W . Noise and Health . Vermeer-W Passchier. Noise e saúde. Publication No A93/02E. Publicação no A93/02E. The Hague: Health Council of the Netherlands, 1993 Haia: Conselho de Saúde da Holanda, 1993

17.                Crook MA , Langdon FJ. Crook MA, Langdon FJ. The effects of aircraft noise in schools around London Airport. J Sound Vib 1974 ; 34 : 221 –32 Os efeitos do ruído aeronáutico nas escolas em torno de Londres Aeroporto:. J Som Vib 1974, 34 221 -32

18.               -Melamed S , Najenson T, Luz T et al. Noise annoyance, industrial noise exposure and psychological stress symptoms among male and female workers. Communication, Sleep and Non-auditory Physiological Effects . Audição, Comunicação, do sono e não auditivos Efeitos Fisiológicos. Swedish Council for Building Research, 1988 ; 315

19.                Conselho Sueco de Investigação Construção, 1988, 315

20.                Kristal-Boneh E , Melamed S, Harari G. Acute noise exposure on blood pressure and heart rate among industrial employees: The Cordis Study. Archives of Environmental Health , 50(4) : 298 –304 Kristal-Boneh E, Melamed S, Harari G. exposição ao ruído agudo sobre a pressão arterial e freqüência cardíaca entre os trabalhadores industriais: O Estudo Cordis:. Archives of Environmental Health, 50 (4) 298 -304

21.                Cohen S , Evans GW, Stokols D, Krantz DS. Behavior, Health and Environmental Stress . New York: Plenum Press, 1986

22.                 Evans GW , Hygge S, Bullinger M. Chronic noise and psychological stress. Psychol Sci 1995 ; 6 : 333 –8

23.                Cohen S , Glass DC, Singer JE. Cohen S, DC vidro, JE Singer. Apartment noise, auditory discrimination, and reading ability in children. J Exp Soc Psychol 1973 ; 9 : 407 –22


TOP