Volume 22 - Novembro de 2017
Editor: Giovanni Torello

 

Março de 2011 - Vol.16 - Nº 3

France - Brasil- Psy

Coordenação: Docteur Eliezer DE HOLLANDA CORDEIRO

Quem somos (qui sommes-nous?)                                  

France-Brasil-PSY é o novo espaço virtual de “psychiatry on  line”oferto aos  profissionais do setor da saúde mental de expressão  lusófona e portuguesa.Assim, os leitores poderão doravante nela encontrar traduções e artigos em francês e em português abrangendo a psiquiatria, a psicologia e a psicanálise. Sem esquecer as rubricas habituais : reuniões e colóquios, livros recentes, lista de revistas e de associações, seleção de sites.

Qui sommes- nous ?

France-Brasil-PSY est le nouvel espace virtuel de “psychiatry on line”offert aux professionnels du secteur de la santé mentale d’expression lusophone et française. Ainsi, les lecteurs pourront désormais y trouver des traductions et des articles en français et en portugais  concernant la psychiatrie, la psychologie et la psychanalyse. Sans oublier les rubriques habituelles : réunions et colloques, livres récentes, liste de revues et d’associations, sélection  de sites

SOMMAIRE (SUMÁRIO):

 

  • 1. TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS, TELEVISÃO E INTERNETE
  • 2. INDÚSTRIA FARMACÊUTICA BUSCA NOVOS BENEFÍCIOS
  • 3. REVISTAS
  • 4. ASSOCIAÇÕES
  • 1) TRANSTORNOS  PSICOLÓGICOS, TELEVISÃO E INTERNETE

    Eliezer de Hollanda Cordeiro

    Num chat com leitores do jornal Le Monde(18.02.11 ), moderado pela jornalista  Emmanuelle Chevallereau, o psiquiatra e psicanalista   Serge Tisseron, colaborador da revista Psychiatrie Française e especialista  das novas tecnologias, discutiu  com internautas  sobre o seu livro mais recente ,  " Faut-il interdire les écrans aux enfants’’?(É preciso  interditar os écrans   às crianças?") ( éd. Mordicus, com Bernard Stiegler, 2009. Fiz então o resumo da troca de idéias entre o autor e os leitores deste importante jornal francês.

     

    INQUIETAÇÃO  DOS PAIS

    Psicólogos e psiquiatras estão constatando o  aumento das consultas  de crianças e adolescentes com  transtornos  relacionais e do comportamento ligados à  utilização excessiva e precoce da internete e da televisião.  Professores também chamam a atenção sobre a recrudescência   de comportamentos instáveis e dificuldades de concentração em alunos, em torno  dos 9 anos de idade.

    Os pais desses grandes   utilisadores de jogos videos e das redes sociais  têm razão de se mostrarem inquietos, muito embora nem todos os jovens venham a sofrer mais tarde de transtornos psicológicos relacionados com tais práticas. 

    Contudo,os pais e os adultos responsáveis devem tomar precauções, como por exemplo  as  enumeradas pela Academia Americana de Pediatria em 1999.  Ela publicou  um guia postulando a interdição da televisão e da Internete  antes dos 3 anos,  recomendando sua utilização 1 hora por dia de 3 a 6 anos; 2 horas  de 6 a 9 anos, de 3 horas a partir desta idade. A recomendação  leva em conta o tempo total que a criança passa na televisão e no computador, quer seja para brincar ou estudar.

    Notemos entretanto que   uma  interdição tão drástica pode  comportar  o risco de marginalizar crianças, suscitando-lhes  conflitos inúteis com os seus desejos, em fase com a época em que vivem.  

    Se o tempo de utilização dos écrans pelas crianças deve ser determinado, os adultos podem se conduzir de maneira  mais inteligente, interessando-se  pelo conteúdo dos programas que elas olham e a maneira  como brincam..

    RISCOS DE TRANSTORNOS MENTAIS

    O uso intensivo dos computadores e televisões pode causar transtornos mentais?  

    Os especialistas, admitem em todo o caso que isto pode modificar  a relação da criança  com e espaço e o tempo, perturbando-lhe a construção da identidade, notadamente quando as atividades lúdicas são solitárias.  Mesmo assim, a porcentagem de crianças apresentando transtornos mentais não parece haver aumentado muito depois do aparecimento da televisão e da internete.  

    Entretanto, pesquisadores pensam que  o hábito de passar horas a jogar, a praticar a Internete, a olhar a televisão pode ser  comparado ao uso de uma droga e aos efeitos químicos(dopamina) e psicológicos que ela produz.

    Aviel Goodman, por exemplo,  defendeu em 1990  a idéia de  que pode haver  fenômenos adictos   sem substâncias. Se fosse o caso, os efeitos produzidos pela  Internete e a televisão seriam equivalentes aos comportamentos adictos  dos que se drogam com medicamentos? A maioria dos especialistas rejeita esta hipótese, outros  salientam, ao contrário, os efeitos benéficos que crianças e adolescentes podem obter  quando participam  de bincadeiras em linha ou conversam com amigos pelas redes sociais.

    Cuidados particulares devem ser levados em conta entre 3 e 6 anos de idade, período em que a criança   precisa  utilizar os 10 dedos.É a razão pela qual  o programa de ensino nesta  faixa etária comporta   atividades manuais como cortar,colar, dobrar, colorir, etc.  De fato, a ativação dos dez dedos permite a maturação das regiões cerebrais, levando a criança  a apreender objetos em tres dimensões.

    BRINCAR SOZINHO É UM SINAL DE ALARME

    O problema começa quando  as crianças brincam sozinhas. A simples observação mostra que  as redes sociais  oferecem a possibilidade de trocas de informações e  idéias  em tempo real. E que os jovens, ao contrário dos adultos, encontram sobretudo, nessas rede,   pessoas da mesma idade e que elas conhecem.Mas por precaução, os pais sempre devem perguntar aos filhos se eles brincaram sozinhos ou com amigos.  Se  a resposta for que eles brincaram com outras crianças, sobretudo com colegas de aula,os pais podem ficar tranquilos. Se disserem  que brincaram  com pessoas desconhecidas, os pais devem procurar saber  quem são estas pessoas.  Se disserem que brincaram sozinhos, os  pais devem evitar os riscos de uma relação  virtual solitária dos filhos com as máquinas.  Naturalmente, os pais  devem dar  o exemplo e oferecer pontos de referências aos filhos para que eles não   identifiquem  aos  modelos que percebem nas telas.  As novas  tecnologias não devem tomar o lugar dos adultos  na transmissão de normas e valores.

    De um modo geral, todos os jogos eletrônicos são capazes de sociabilisar  a criança, levando-as  a colocar questões e a resolver problemas imprevistos, favorecendo o seu desenvolvimento. Ao contrário,  todas as atividades e jogos  repetitivos, estereotipados e sobretudo solitários  são inquietantes.

    Muitos pais, preocupados com a influência das imagens  sobre os filhos, preferem  visionar DVDS  em vez de ligar a televisão. Esta fórmula apresenta uma vantagem enorme : ela permite  que a criança possa escolher  o que ela quer  ver, decidir de rever o filme  várias vezes para melhor  entender  a história, o que pode favorecer o desenvolvimento da  memória.

    IMPORTÂNCIA DO EXEMPLO PARENTAL

    Os adultos são muitas vezes os primeiros a dar o máu exemplo, passando inúmeras horas por semana a consultar seus correios ou a contactar amigos nas redes sociais.

    Um recente trabalho americano mostrou que as crianças que mais olham televisão são aquelas cujos pais olham demasiadamente a televisão... Dito de outra maneira, se os pais quiserem que seus filhos olhem  menos a televisão, é melhor que eles comecem a reduzir o tempo que passam a olhar programas. 

    Enfim, a propósito das redes sociais, é importante  que a família tenha momentos onde cada pessoa  possa falar da maneira como ele utiliza a televisão e a internete.O  melhor momento para abordar este assunto é durante  o jantar, quando a família está  reunida e a televisão desligada.

    Se os pais nunca ligam a televisão, é melhor que eles expliquem  aos filhos porque tomaram esta decisão, prontificando-se  a discutir com eles se quiserem olhar  a televisão fora de casa.

    O PAPEL DO ENSINO ESCOLAR

    Comos os pais, a escola também desempenha um papel muito importante na educação das  crianças,  ensinando-as a se familiarisar com o vasto domínio das novas tecnologias. A escola deve explicar às crianças, desde o curso primário, as tres regras básicas da Internete:tudo o que se  coloca nela pode cair no domínio público, vai permanecer eternamente e nem sempre é verdade.

    A escola deve também explicar  os modelos econômicos que existem por trás de Facebook, YouTube, Dailymotion... bem como a importância do direito das pessoas à  dignidade e à imagem. Enfim, a escola não deve ser somente um lugar para o ensino das novas tecnologias, ela deve também cuidar do nível de conhecimento dos  professores para que eles possam ser capazes de alertar  as crianças sobre os perigos e as ciladas contidos na internete.

     

    2) INDÚSTRIA FARMACÊUTICA BUSCA NOVOS BENEFÍCIOS

    (Comentários da jornalista Marie Cailletet a prpósito  do documentário Les nouveaux jackpots de l’industrie pharmaceutique, realizado por  Sophie Bonnet, visto  na cadeia de televisão Planète,em 17 de Março de 2011

    Tradução e resumo:Eliezer de Hollanda Cordeiro

     

    A jornalista, Marie Cailletet, comentou na revista semanal Télérama, a  estratégia rentável que laboratórios farmacêuticos estão adotando atualmente. A jornalista coloca as seguintes questões: depois do  sucesso do Viagra , os laboratórios farmacêuticos estariam procurando encontrar algo semelhante para as mulheres?O fato é que eles  começaram uma grande campanha de comunicação publicitária sobre os ‘’disfuncionamentos’’ de  43%  da população feminina  que sofreria de frigidez.Isto não seria uma maneira de preparar o terreno para a nova pílula milagrosa que deve acabar com  este presumido  flagelo?

    Marie Cailletet, cita ‘’a indignação  e o protesto do sexologista Jacques Waynberg,  afirmando que somente 5 a 8 % das mulheres apresentam  uma diminuição do desejo. E isto não é uma doença.’’

    A jornalista elogia ‘’as vozes que discordam e denunciam esta mensagem venal,  (...)  as dos  serviços de marketing das emprezas, as opiniões de experts nem sempre independentes’’,   defendendo a idéia de que deve haver um  medicamento para cada pessoa porque todo mundo é doente ou é um doente que se ignora’’. Foi assim que  ‘’a impotência e a ejaculação precoce entraram no repertório das doenças mentais  do DSM, o manual de referência editado pela Associação Americana de Psiquiatria.’’

    ‘’Ainda mais,  um  especialista  prevê  que   outras doenças mentais vão aparecer este ano: infidelidade, angústia relacionada com o aquecimento planetário, pessoas que somente comem alimentos biológicos...”

    ‘’Baseando-se em exemplos bem conhecidos( impotência, obesidade, colesterol...), a reportagem denuncia, de maneira implacável, os conluios  que podem existir entre médicos e laboratórios. Dificil de não ver em tudo isto  um  plano recorrente, após o episódio pitoresco da campanha nacional de vacinação contra  a gripe A(H1N1) na França e o escândalo sanitário do Médiator.Sem versar na paranóia, seria bom que  fossem criados  comitês independentes para a avaliação dos riscos  e das indicações terapêuticas.’’

     

    3. REVISTAS

     

    L’évolution pychiatrique

    L’information psychiatrique

    Impacte medecine

    La revue française de psychiatrie et de psychologie medicale 

    L’encephale

    Psychiatrie française

    L’autre, culture et societes

    4. ASSOCIAÇÕES

     

    Mission nationale d’appui en sante mentale

    Association française de psychiatrie et psychologie legales (afpp)

    Association française de musicotherapie (afm)

    Association art et therapie

    Association française de therapie comportementale et cognitive (aftcc)

    Association francophone de formation et de recherche en therapie comportementale et cognitive (afforthecc)

    Association de langue française pour l’etude du stress et du trauma (alfest)

    association de formation et de recherche des cellules d’urgence medico  psychologique (aforcump)

    Association pour la fondation Henri Ey


    TOP