Volume 22 - Novembro de 2017
Editor: Giovanni Torello

 

Novembro de 2010 - Vol.15 - Nº 11

France - Brasil- Psy

Coordenação: Docteur Eliezer DE HOLLANDA CORDEIRO

Quem somos (qui sommes-nous?)                                  

France-Brasil-PSY é o novo espaço virtual de “psychiatry on  line”oferto aos  profissionais do setor da saúde mental de expressão  lusófona e portuguesa.Assim, os leitores poderão doravante nela encontrar traduções e artigos em francês e em português abrangendo a psiquiatria, a psicologia e a psicanálise. Sem esquecer as rubricas habituais : reuniões e colóquios, livros recentes, lista de revistas e de associações, seleção de sites.

Qui sommes- nous ?

France-Brasil-PSY est le nouvel espace virtuel de “psychiatry on line”offert aux professionnels du secteur de la santé mentale d’expression lusophone et française. Ainsi, les lecteurs pourront désormais y trouver des traductions et des articles en français et en portugais  concernant la psychiatrie, la psychologie et la psychanalyse. Sans oublier les rubriques habituelles : réunions et colloques, livres récentes, liste de revues et d’associations, sélection  de sites

SOMMAIRE (SUMÁRIO):

 

  • 1. TROISIEME CONFERENCE DE GENEVE SUR LA MEDECINE CENTREE SUR LA PERSONNE
  •    1a) OS SETORES DINÂMICOS DA OMS
  •    1b) DA MEDICINA VETERINÁRIA À MEDICINA DA PESSOA
  • 2. OÙ VONT LES PAROLES? (PARA ONDE VÃO AS PALAVRAS?)
  • 3. REVISTAS
  • 3. ASSOCIAÇÕES
  • 1. Troisième conférence de Genève sur la médecine centrée sur la personne (Terceiro encontro de Genebra sobre a medicina centrada  na pessoa)

    Eliezer de Hollanda Cordeiro

    Referências: Dr.  Jean OUREIB, La Lettre de Psychiatrie Française,France-Brasil-Psy

    O Terceiro encontro de Genebra,Suissa,  sobre a medicina centrada na pessoa, ocorreu  entre 3 e 5 de maio de 2010.O psiquiatra francês, Jean OUREIB, escreveu na Lettre de Psychiatrie Française de novembro de 2010, um longo artigo contando e comentando as principais contribuições dos conferencistas convidados.

    Ele lembra –nos que  o  objetivo destes encontros  ‘’é o de reunir os psiquiatras engajados no Programa institucional da World Psychiatric Association(WPA) em prol  da psiquiatria da pessoa’’. O congresso foi planejado ao mesmo tempo pelas (INPCM: Rede Internacional para a Medicina centrada na Pessoa), Associação Médica Mundial (WMA), Organisação mundial dos  Médicos de Família (Wonca) ,  OMS  por associações  de usuários (EUFAMI, IAPO),  de profissionais dos cuidados(enfermeiros, trabalhadores sociais, farmacêuticos, psicólogos...) e mesmo por associações filantrópicas ligadas ao desenvolvimento de uma medicina mais ‘’empática’’, como a de Paul Tournier Society.

    O encontro foi um sucesso, tendo sido patraocinado  por  21  associações.

    Realçemos o papel desempenhado pela OMS, que acolheu o congresso em sua sede, por ocasião de uma conferência específica sobre a Person Contered Medecine nos países de baixa e média rendas.

    1a. OS SETORES DINÂMICOS DA OMS

    O Dr. Jean OUREIBl lembrou-nos que, no momento em que ela foi criada,  a OMS deu uma definição muito ampla  e precisa da saúde, modificando-a  recentemente  ao introduzir a palavra  dinâmica nesta definição, uma maneira de salientar  a importância dos  laços (afetivos)  e da interatividade no encontro dos profissionais da saúde com seus pacientes.Ainda mais,  procurando  estender a referida noção, a OMS está estudando a possibilidade de ajuntar-lhe  a noção de ‘’espiritualidade’’  .

    Mas a OMS foi mais adiante em sua  assembléia geral de 2009: colocou a população e, implicitamente,  a pessoa  no centro dos cuidados e dos objetivos da saúde pública, não somente para levar em conta  uma maior  consideração e respeito pelos pacientes, seus próximos e familiares, mas sobretudo afim de melhorar  a eficiência  dos cuidados e sua organização a partir  das redes da saúde de base.

    1b. DA  MEDICINA VETERINÁRIA À MEDICINA DA PESSOA

    ‘’O  objetivo de todas estas medidas é, segundo os promotores deste aggiornamento(modernisação),  de passar da medicina veterinária   para uma verdadeira medicina da pessoa, isto é corrigir  certos  desvios causados pelas orientações resultantes da conferência de Alma-Ata em 1996, base das orientações da OMS até pouco tempo’’, escreveu Jean OUREIB.

    Muito resta a fazer para que  esta enorme revolução venha a ser  levada em conta pelas políticas públicas de saúde, quem sabe até pelas orientações efetivas de todos os departamentos da OMS. Em todo o caso, é nesta direção que o movimento da medicina centrada na pessoa emprega seus esforços. Aliás, o próximo congresso sobre este assunto,  previsto para maio de 2011em Genebra,  será consagrado a este tema especial de grande interesse para a medicina e para a psiquiatria.

    2. OÙ VONT LES PAROLES? (PARA ONDE VÃO AS PALAVRAS?)

    Christine FERNIOT, revista Télérama, n° 3171 20/10/ 2010

    A autora avalia o romance ‘’LE PREMIER MOT’’(A PRIMEIRA PALAVRA), Edição Stock, 460 páginas), último livro do escritor franco-grego Vassilis ALEXAKIS.

    Tradução:Eliezer de HOLLANDA CORDEIRO

    É um inquérito sobre as palavras e os lutos, uma delicado passeio  no país das línguas e de suas origens.Vassilis  ALEXAKIS, ou melhor seu herói Miltiadis, quer resolver um enigma: qual foi  a primeira palavra? Miltiadis é professor de língua comparada em Paris. Nascido na Grécia,  sempre anda com um livro na mão, eternalmente curioso, as vezes conversador, as vezes contemplativo.Ao morrer inopinadamente,sem haver encontrado a resposta que o obsedava, sua irmã decide continuar a busca,transformando-a numa magnífica  viagem linguística e humanista.

    Desde o livro ‘’La Langue maternelle’’(A Língua materna), publicado em 1995, o romancista aprofunda o mesmo tema para dizer-nos que a  vida é o verbo mas que é preciso cultivá-lo, sustentá-lo, buscá-lo. Ao começar a sua aventura,a narradora do Premier Mot encontra um coro de surdos numa igreja, o fantasma de seus pais, cançonetas de sua infância.Ela escuta a opinião de zoologistas, etnologistas, linguistas, se nutrindo de histórias e anedotas quase sempre poéticas. Assim, ela descobre que  as palavras de uma antiga  cançoneta de sua infância  tinham  por origem uma encantação feiticeira, ou ainda que os aborígenes da Austrália, quando lhes morre um chefe, decidem apagar definitivamente uma palavra de seu vocabulário. ‘’Sabe-se que toda  língua perde pouco a pouco o seu vocabulário(...) o que significa que dentro de 5000 anos ela desaparecerá completamente’’, disse-lhe um cientista.Por conseguinte, precisamos resistir afim de salvar algumas palavras e apreciar a grande miscelânia  da língua francesa,  que  comporta, sozinha,  mais de uma centena de idiomas.

    Este livro é cheio de fantasia, encantamento e  marcado pelo amor filial. Vassilis  ALEXAKIS possui ‘’a lógica extranha  dos dicionários’’, passando de uma palavra  a outra, do passado ao presente, do pessoal ao universal. Há uma grande sensualidade nesta obra erudita  e inventiva, que abre mil pistas de reflexão. O autor nunca se mostra pedante, seu romance exalando  uma sorte de serenidade: a da narradora que nunca deixa de dialogar com seu irmão  morto.As palavras revivificam os ausentes, como uma história contada na hora de dormir consegue apaziaguar uma criança.

    3. REVISTAS

    L’évolution pychiatrique

    L’information psychiatrique

    Impacte medecine

    La revue française de psychiatrie et de psychologie medicale 

    L’encephale

    Psychiatrie française

    L’autre, culture et societes

    4. ASSOCIAÇÕES

    Mission nationale d’appui en sante mentale

    Association française de psychiatrie et psychologie legales (afpp)

    Association française de musicotherapie (afm)

    Association art et therapie

    Association française de therapie comportementale et cognitive (aftcc)

    Association francophone de formation et de recherche en therapie comportementale et cognitive (afforthecc)

    Association de langue française pour l’etude du stress et du trauma (alfest)

    association de formation et de recherche des cellules d’urgence medico  psychologique (aforcump)

    Association pour la fondation Henri Ey

     


    TOP