Volume 22 - Novembro de 2017
Editores: Giovanni Torello e Walmor J. Piccinini

 

Novembro de 2009 - Vol.14 - Nº 11

France - Brasil- Psy

Coordenação: Docteur Eliezer DE HOLLANDA CORDEIRO

Quem somos (qui sommes-nous?)                                  

France-Brasil-PSY é o novo espaço virtual de “psychiatry on  line”oferto aos  profissionais do setor da saúde mental de expressão  lusófona e portuguesa.Assim, os leitores poderão doravante nela encontrar traduções e artigos em francês e em português abrangendo a psiquiatria, a psicologia e a psicanálise. Sem esquecer as rubricas habituais : reuniões e colóquios, livros recentes, lista de revistas e de associações, seleção de sites.

Qui sommes- nous ?

France-Brasil-PSY est le nouvel espace virtuel de “psychiatry on line”offert aux professionnels du secteur de la santé mentale d’expression lusophone et française. Ainsi, les lecteurs pourront désormais y trouver des traductions et des articles en français et en portugais  concernant la psychiatrie, la psychologie et la psychanalyse. Sans oublier les rubriques habituelles : réunions et colloques, livres récentes, liste de revues et d’associations, sélection  de sites

SOMMAIRE (SUMÁRIO):

 

  • 1. RECRUDESCÊNCIA DAS PATOLOGIAS OCUPACIONAIS
  • 2. LIVRO DO MÊS:PSIQUIATRIA SOB INFLUÊNCIA
  • 3. LIVROS RECENTES
  • 4. REVISTAS
  • 5. ASSOCIAÇÕES
  • 1.RECRUDESCÊNCIA DAS PATOLOGIAS OCUPACIONAIS

    Eliezer de Hollanda Cordeiro, psiquiatra inscrito na Ordem Nacional dos Médicos da França

    Pesquisas epidemiológicas indicam que 10% dos salariados franceses sofrem de distúrbios  psiquicos e  orgânicos ligados às condições de trabalho. A Rede nacional de vigilância e prevenção das patologias  profissionais(RNVAP) mostra  que  a ansiedade,o estresse e a depressão tornaram-se   os principais motivos de consulta nos centros de medicina  do trabalho do país. Por fim, um relatório da Caisse  Primaire d’Assurance Maladie  acaba de reconhecer 28 suicídios  como acidentes do trabalho,  no período de janeiro 2008 a  Junho 2009.  Nenhuma  categoria profissional escapa a este  fenômeno:diretores de emprezas, profissões intelectuais, profissões intermediárias ou operários, todos são iguais diante do estresse profissional.

    Como explicar a progressão das doenças profissionais? Digamos primeiro que, se uma parte dos salariados  parece suportar as novas e estressantes  condições de trabalho, muitos se  esgotam fisica e mentalmente, como ocorreu  na  empreza France Télécom, recentemente confrontada a uma crise causada pelo  suicídio de vários  empregados. A mesma coisa ocorreu na Renault, obrigada a tomar decisões afim de lutar contra este flagelo.

    TRES EMINENTES ESPECIALISTAS

    Christophe Dejours é um  psiquiatra e psicanalista francês,diretor do laboratório depsychologie du travail no Conservatoire national des arts et métiers. Ele aborda a questão  do ponto de vista da   psychodynamique  ocupacional, privilegiando   temas como as  ‘’distâncias que separam a tarefa  exigida da realizada’’, ‘’os mecanismos de defesa  contra o sofrimento’’,  ‘’o sofrimento ético e o reconhecimento da atividade  do salariado’’ .

    Num artigo publicado na edição on line de Sciences humainesHélène Vaillé mostrou que, desde os anos de 1980, Christophe Dejours começou a associar  noções psicanalíticas, sociológicas e ergoterápicas para dar um  ponto de vista inovador sobre esta questão. Para  ele, ‘’o empregado não é um simples executante e o trabalho não age nele somente como uma força externa  e nociva. Os agentes criam suas próprias regras ( as ideologias da profissão) afim de  se adaptar e suportar as condições de trabalho que lhes são impostas’’.Tais estratégias individuais e coletivas de defesa esplicariam porque todos os trabalhadores  não se tornam loucos. Este estado de aparente  normalidade, entre sofrimento e defesa, é o enigma central da psicopatologia do trabalho, uma nova especialidade criada por  Christophe Dejours e a  psicóloga  Marie Pezé em 2008.  Assim,no anfiteatro do Conservatoire nationale des arts et métiers de Paris, 40 pessoas, na grande maioria médicos e psicólogos, começaram a se formar nesta nova especialidade,  alguns  dos 40 participantes dizendo querer criar uma consultação ‘’sofrimento e trabalho’’ em suas regiões, outros falando da situação de sofrimento nos setores onde atuam(educação, polícia, bombeiros...), mas todos dizendo que começaram  o curso para aprender a lutar contra o isolamento no trabalho e obter os meios e a formação adequados para enfrentar tais situações.

    OS PACIENTES DE MARIE PEZÉ

    Quem  vêm consultar Marie Pezé no Centre d’accueil et de soins hospitaliers de Nanterre,  especializado em riscos ocupacionais? 900 pessoas passaram no centro em 2008.Depois de sua criação,  23 centros semelhantes foram criados na França.

    O jornalista da revista Télérama, Olivier Milot, autorizado a assistir às consultas de Marie Pezé,  descreveu suas entrevistas com caixeiras de supermercados despedidas pelo roubo de dois pacotes de bombons, sindicalistas obrigados a pedir demissão por haverem criado uma secção sindical,  um executivo   se queixando  de   ‘’pulsões suicidárias’’ ou  uma assistente social de 50 anos, cujas condições de trabalho levaram-na  ao esgotamento físico e psíquico.

    O jornalista continuou seu inventário, notando que ‘’a  primeira entrevista com um paciente assediado é sempre muito longa. Ele precisa de tempo para contar a sua vida,estabelecer a cronologia dos acontecimentos e dar-lhes un sentido.Uma catarse frequentemente dolorosa’’. Foi o caso de uma jovem e bonita estudante, assediada pela responsável do serviço  diante de colegas de trabalho indiferentes.A psicóloga contactou diretamente a Inspeção do trabalho, esta fez um inquérito que  confirmou  os fatos e levou a perseguidora a ser  afastada da empreza.

    As respostas de Maria Pezé? Ora ela alerta a medicina do trabalho sobre a situação de uma pessoa,ora pede um certificado ao médico, mencionando  que o paciente é inapto a exercer qualquer atividade na empreza por causa dos riscos graves e imediatos que está correndo, em suma toma iniciativas, não se contentando em escutar e aconselhar as pessoas.

    Após as consultas, ela  diz ao jornalista que todas essas pessoas “mostram a crueldade das relações sociais,  a dissolução das   solidariedades tradicionais nas emprezas e a nocividade de certas formas de gerenciamento.Ela não esquece a reação das colegas de trabalho da paciente  assediada: ‘’Cada um(a) cuida de si, a ausência de solidariedade no trabalho pode matar tanto quanto as práticas  de um responsável. Porque aceitarmos semelhantes coisas?”

    Ela lembra que o governo, por razões econômicas,  decidiu  controlar de maneira sistemática as licenças de trabalhos assinadas pelos médicos. Ora, diante da recrudescência do número e da gravidade das patologias ocupacionais,  a licença detrabalho é as vezes a única arma do médico para impedir um empregado  de se suicidar.Aliás, em alguns casos, ”todo mundo é responsável, o empregador que inventa faltas, o advogado incapaz de arranjar  um acordo, o médico do trabalho por deixar os problemas   continuarem assim, a Seguridade social por  esquecer a doença de longa duração.É sempre a mesma coisa, cada um fica no seu canto, isolado, privando-se da força do grupo.  É preciso criar mais laços entre os atores responsáveis  do trabalho.É a melhor coisa que devemos fazer para que nossas ações sejam eficientes’’.

    Minha conclusão: o grande combate,atual e futuro, é a luta por um tipo de gestão emprezarial que respeite os valores humanistas.

    A VIDEO CONFERÊNCIA DE VINCENT DE GAULEJAC  

    Vincent de Gaulejac é  professor de sociologia  na  l'UFR de Sciences Sociales da l'Université Paris 7 Denis-Diderot. A Wikipedia francesa nos diz que ele é   um dos principais representantes da corrente da sociologie clinique,  a qual  procura articular  as dimensões sociais e psíquicas a partir da singularidade dos percursos e das experiências,  o que ele chama histoires de vie.

    Para os leitores que compreendem o françês, segue a video conferência deste  brilhante e erudito intelectual, dissertando  sobre o seu livro La société malade de la gestion (A sociedade doente da gestão). A conferência foi pronunciada  em Rencontres et débats autrement. Para escutá-la, clicar no link: Vincent de Gaulejac

    2.LIVRO DO MÊS: PSIQUIATRIA SOB INFLUÊNCIA

    Referência: Comment la psychiatrie et l’industrie pharmaceutique ont médicalisé nos émotions, de Christopher Lane, Flammarion, 384 p., 26€

    A psiquiatria está sendo alvo de inquéritos rigorosos nestes últimos meses.Agora foi a vez de Christopher Lane, professor de literatura na universidade de Nohthwqestern de Chicago, de escrever um livro que vai sem dúvida alimentar  os debates atuais. Intitulado ‘’Como a psiquiatria e a indústria farmacêutica medicalisaram nossas emoções’’, este livro publicado há dois anos nos EEUU e que acaba de ser traduzido em francês, aborda um assunto completamente negligencido  no debate público americano: a cumplicidade ativa de uma grande parte dos setores da psiquiatria com a indústria farmacêutica.Christophe Lane considera que, em nome de uma visão  ao mesmo tempo comportamental e cognitivista, a psiquiatria americana estaria passando sob o controle dos grupos farmacêuticos.

    Apoiando-se em arquivos e notas confidenciais, o autor sugere que os fabricantes de medicamentos, não contentes de subvencionar a poderosa Food And Drug Administration,  o Senado e a Universidade, sustentam também o Diagnostic And Statiscal Manual - DSM, o manual de avaliação e de classificação dos distúrbios mentais, que eles conseguiram controlar- na perspectiva de uma constante extensão  das patologias e sintomas. O autor se interroga: um semelhante  deslize  não estaria ocorrendo na Europa?

    Alexis Lacroix, Revista Marianne, n° 619, Março 2009.

    3. LIVROS RECENTES

    *Mémento de psychiatrie légale

    Gaëlle ABGALL-BARBRY  et  Nicolas DANTCHEV 
    *
    Les troubles du comportement  alimentaire

      Rébecca SHANKLAND
    *
    Nouvelle histoire de la psychiatrie

    Jacques POSTEL  ET Claude QUETEL

    *Stimulation magnétique transcrânienne

    Sob a direção de Jerôme BRUNLIN, André GALINOWSKI, Dominique  JANUEL, Emmanuel POULET

    Editeur: SOLAL, 35 euros

    *Psychomotricité, psychoses et autismes infantiles

    Jerôme BOUTINAUD

    *Guide de l’urgence psychiatrique

    Sous la direction de Jerôme PALAZZOLO

    *Psychopathologie de l’enfant

    Annie BIRRAUX

    *Traitements psychologiques des troubles bi-polaires

    Auteur : FERRERO

    *Anorexie et boulimie

    Auteur :Jerôme CARRAZ

    *TTC  et neurosciences

    Auteur : Jean COTTRAUX  |

    4. REVISTAS

    * L’Évolution pychiatrique,

    *L’Information Psychiatrique

    *Impacte medecine

    *La revue française de psychiatrie et de psychologie medicale *L’encephale

    *Psychiatrie française

    *Evolution psychiatrique

    5.ASSOCIAÇÕES

    *Mission Nationale d’Appui en Santé Mentale

    *Association française de psychiatrie et psychologie legales (afpp)

    *Association française de musicotherapie (afm)

    *Association art et therapie

    *Association française de therapie comportementale et cognitive (aftcc)

    *Association francophone de formation et de recherche en therapie comportementale et Cognitive (afforthecc)

    *Association de langue française pour l’etude du stress et du trauma (alfest)

    *Association de formation et de recherche des cellules d’urgence medico-psychologique (aforcump

    *Association pour la fondation Henri Ey

    *Association internationale d’ethno-psychanalyse (aiep)

    *Ecole parisienne de gestalt

    *Ecole française de sexologie

    *Ecole de la cause freudienne

    *Groupement d’études et de prevention du suicide (geps)

    *Groupe de recherches sur l’autisme et le polyhandicap (grap

    *Société française de thérapie familiale (sftf)

    *Société française de recherche sur le sommeil (sfrs)

    *Société française de relaxation psychotherapique (sfrp)

    *Société de psychologie medicale et de psychiatrie de liaison de langue française

    *Société médicale Balint

    *Union nationale des amis et familles de malades mentaux (unafam)

    *Association Psychanalytique de France (apf)

    *Société Psychanalytique de Paris (spp)

     


    TOP