Volume 22 - Novembro de 2017
Editor: Giovanni Torello

 

Outubro de 2004 - Vol.9 - Nº 10

Psicanálise em debate

UMA LEITURA DE DUAS DAMAS BEM COMPORTADAS DE JANE BOWLES
(Editora LPM, Porto Alegre, 1984, tradução de Lya Luft e prefácio de Truman Capote)

Sérgio Telles

1) A autora

Jane Auer Bowles (22/02/1917 - 04/05/1973) nasceu em Nova York, filha de pais judeus. Esteve gravemente enferma durante a adolescência, o que a levou a longos tratamentos na Suíça. Conheceu Paul Bowles (autor de “The Sheltering Sky”, filmado em 1989 por Bernardo Bertolucci) então famoso compositor, em fevereiro de 1937, na cidade de Nova York. Após um namoro tempestuoso, os dois se casaram em 21 de fevereiro de 1938, um dia depois de Jane ter completado 21 anos. Em seguida, o casal Bowles viajou para o Panamá, Costa Rica, Guatemala e Europa, até se estabelecer por um período em Nova York, ocasião em que Paul trabalhou como crítico de teatro para o New York Herald Tribune.

Em 1947, Paul mudou-se para o Marrocos. Jane foi encontrá-lo ali um ano depois e, juntos, retomaram o hábito de viajar. Embora casados, Paul e Jane sempre viveram praticamente separados, ambos envolvidos em relacionamentos homossexuais. Mesmo assim, seu casamento manteve-se até a morte de Jane em 1973.

Apesar das graves doenças físicas e mentais que limitaram sua produção literária, Jane Bowles foi considerada por muitos como uma grande e original escritora, comparável a Gertrude Stein e a sua contemporânea Carson McCullers. Truman Capote a descrevia como “gênio” e o poeta John Ashbery disse que ela era “um dos melhores escritores modernos em qualquer língua”.

O texto completo encontra-se no livro: "Visita às casas de Freud e outras viagens" - Casa do Psicólogo, 2006.


TOP