Volume 22 - Novembro de 2017
Editor: Giovanni Torello

 

Novembro de 2003 - Vol.8 - Nº 11

France - Psy

Quem somos

Eliezer de Hollanda Cordeiro

FRANCE-PSY é o novo espaço virtual de “Psychiatry On Line” oferecido aos internautas brasileiros para facilitar-lhes o acesso às publicações em língua francesa relacionadas com a psiquiatria. Trata-se de uma iniciativa resultando de uma concertação entre Giovanni Torello, editor de “Psychiatry On Line”, e o responsavel desta nova coluna, Eliezer de Hollanda Cordeiro, psiquiatra-psicanalista brasileiro radicado na França.

Com efeito, se a História das relações entre o Brasil e a França, tecida ao longo dos cinco séculos, exprimiu-se através de intercâmbios culturais intensos e inigualáveis, o desencadeamento da Segunda Guerra Mundial modificaria progressivamente os vínculos entre os dois países, notadamente linguísticos. Assim, uma das consequências do alinhamento político, social, econômico e cultural do Brasil aos Estados Unidos foi a inexorável ascensão do inglês e o declínio simultâneo da utilização da língua francêsa, outrora veículo de comunicação prioritário das elites intelectuais brasileiras. Ora, a difusão da Psicologia, da Psiquiatria e da Psicanálise francêsas em nosso país não escapou ao lento retrocesso “de la langue de Molière”.

Donde a idéia da criação de FRANCE-PSY, um instrumento interativo, de comunicação e de informação destinado não somente aos profissionais do setor da saúde mental ou às pessoas interessadas pelo saber de nossa disciplina, mas também aos que desejam colaborar ao desenvolvimento das relações franco-brasileiras neste importante domínio do conhecimento humano.

ATUALIDADE

UM ESTATUTO PARA OS PSICOTERAPEUTAS

A legislação francesa prepara-se a integrar um projeto de lei capaz de revolucionar o estatuto do psicoterapeuta, que deve possuir, obrigatoriamente, um diploma reconhecido pelo Estado.

Com efeito, após o voto da Assembléia Nacional em 8 de Outubro deste ano, o Senado Françês vai sem dúvida confirmar o projeto de lei que especifica que ninguém poderá praticar uma psicoterapia sem possuir um diploma de psicólogo ou de médico psiquiatra. Ora, atualmente, qualquer pessoa pode auto-proclamar-se psicoterapeuta ou psicanalista.

O autor do projeto , o Deputado Bernard Accoyer, quer que o título de psicoterapeuta seja bem definido e que haja um melhor enquadramento da prática psicoterápica.

Lembremos que existem 36 000 psicólogos diplomados e 13 800 psiquiatras na França. Ajuntemos que tem havido muitas reações da parte dos psicoterapeutas que não possuem uma formação universitária( quase 30 000 pessoas) e da parte dos milhares de psicanalistas que estão neste mesmo caso.

Para outras informações sobre este assunto, os leitores podem consultar os sites seguintes:

www.carnetpsy.com

psydoc-fr.broca.inserm.fr/Cybersessions/Cyber.html

www.psycologies.com

Psychiatrie-française.com

ARQUIVOS

Psiquiatras de renome

Três psiquiatras estão tendo muito sucesso na França: Boris Cirulnik, Marcel Rufo e David Servan-Scheiber. Naturalmente, eles são alvo de críticas da parte dos psicanalistas e psioterapeutas que recusam o ecletismo de Boris Cirulnik , a simplificação das teorias freudianas por Marcel Rufo ou as referâncias exclusivamente cognitivas-comportamentalistas de Servan-Schreiber. Contudo, o sucesso destes autores nâo deve ser neglicenciado: pode ser um sinal de uma perda de prestígio da psicanálise como método psicoterápico.

Boris Cirulnik é neuro-psiquiatra, psicólogo, psicanalista e integrou a etologia (ciência do comportamento das espécies em meio natural) em sua obra teórica e clínica.

Marcel Rufo é psiquiatra de crianças e adolescentes em Marselha. Seus livros tiveram também muito sucesso público

David Servan-Scheiber , após haver trabalhado nos EEUU durante 20 anos, voltou para a França e escreveu um livro relatando sua experiência: “Guérir le stress, l'anxiété et la dépression sans médicaments ni psychanalyse”. Fazem 8 mêses que seu livro aparece como um dos ensaios mais vendidos na França .

UM LIVRO, UM AUTOR

BIG MOTHER

Psychopathologie de la vie politique

Michel Schneider

Editions Odile Jacob, Paris, 2002

Psicanalista, Michel Schneider foi diretor da música e da dança no Ministério da Cultura da França.

RESUMO:

Tudo se passa como si as idéias politicas dominantes exprimissem a ausência simbólica do pai. Os homens políticos escutam

a sociedade como uma mâe seus filhinhos. . Donde um processo de tendência maternal do mundo e o reino do infantil .

Ora, os homens politicos, como todos os homens, não escapam à psicopatologia : alguns são atraídos pelo dinheiro sujo, outros exprimem ódio e ambições desmedidas, muitos querem ser amados e reconhecidos custe o que custar... A política é de ponta a ponta animada pelo Inconsciente.

Tais são as principais idéias contidas no ensaio de Michel Schneider, que apoiou-se nas teorias de S. Freud , D. Winnicott e Jacques Lacan. O autor reconhece os riscos de utilisar a psicanálise para abordar a política. Mas ele lembra que Freud fêz assim, quando escreveu que  « A teoria do inconsciente psíquico pode tornar-se indispensável a todas as ciências que se preocupam com a ordem social “.

A matéria estudada pelo autor : pequenos escorregos verbais, atos falhos, lapsos, esquecimentos, recordações falsas, todas estas formações do inconsciente estão presentes nos homens poltícos , como no comum dos mortais.

Michel Shneider aborda o declínio simbólico da lei paterna igualmente do ponto de vista clínico, donde as patologias marcadas por uma perda de desejo (toxicomanias, narcissismo etc.), por um comportamento tirânico et paranóico ( como no pai do psicótico), ou então se traduz no pai evanescente e ausente do perverso.

Big Mother é um livro admirável, de uma uma grande erudição, escrito por um psicanalista inspirado,cuja inteligência nos ajuda a melhor compreender o funcionamento psíquico daqueles que nos governam.

Quem escreverá a psicopatologia da vida política brasileira?


TOP